Emprestados: Vasco terá de definir situações de Galarza e Vinícius





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

O Vasco está em busca de reforços, planeja contratar pelo menos 15 jogadores, mas tem outras decisões a tomar. Além de definir quem será mantido do atual elenco, o clube tem jogadores que retornam após empréstimos.

São os casos de Galarza e Vinícius Paiva, por exemplo. Os dois foram emprestados, respectivamente, para Coritiba e Ituano até o fim do ano e têm contratos longos com o Vasco. Eles devem se reapresentar junto com o elenco em dezembro.

Em 2020, seu primeiro ano como profissional, Vinícius renovou com o Vasco até dezembro de 2024. Matias Galarza, por sua vez, foi adquirido em definitivo no ano passado. Na ocasião, o Vasco pagou US$ 500 mil (R$ 2,6 milhões, na cotação da época) ao Olímpia-PAR e estendeu o vínculo do volante até o final de 2025.

Galarza tem contrato com Vasco até o final de 2025 — Foto: Felipe Dalke /Coritiba

Galarza tem contrato com Vasco até o final de 2025 — Foto: Felipe Dalke /Coritiba

Há outros jogadores emprestados, mas o Vasco não vai precisar definir as situações nesta janela. MT, por exemplo, fica no Santa Clara, de Portugal, até maio. Outros como Bruno Nazário (Juventude), Tiago Reis (Botafogo-SP) e Vanderlei (Operário) estão emprestados até dezembro, mas ficam sem contrato com o Vasco a partir de 2023 e não retornarão.





Como Galarza e Vinícius Paiva são situações a serem definidas nesta janela, o ge ouviu quem acompanhou de perto o desempenho deles.

Galarza (Coritiba)

 

– O Galarza chegou ao Coritiba com muita expectativa por parte da torcida e também do clube, mas teve pouco espaço. Principalmente com Gustavo Moringo, ele demorou muito a estrear. Em toda temporada no Coritiba ele fez apenas 11 jogos. E foi com Guto Ferreira, na reta final do segundo turno, que ele teve mais espaço.

– Ele chegou até a atuar mais avançado, como um meia pela esquerda, fazendo uma função mais ofensiva. Foi a posição onde ele conseguiu ter um encaixe melhor. Mas no geral, atuou muito pouco, não rendeu dentro do esperado pela expectativa que se tinha e teve uma temporada abaixo do que se esperava. No entanto, ele não teve tantas oportunidades em sequência para mostrar seu futebol.

André Ribas, setorista do Coritiba pelo ge.

Vinícius Paiva (Ituano)

 

Vinicius Paiva em ação pelo Ituano na Série B — Foto: Miguel Schincariol/Ituano FC

Vinicius Paiva em ação pelo Ituano na Série B — Foto: Miguel Schincariol/Ituano FC

– Vinicius Paiva conquistou a confiança dos torcedores do Ituano. Foram 10 jogos na Série B, sendo apenas o último, contra o Londrina, como titular. Desde que fez sua estreia, diante do Operário, ele só não jogou duas vezes: uma por opção do treinador e a outra pela cláusula contratual no confronto contra o Vasco, na rodada final.

– Marcou um gol crucial para manter o Galo de Itu vivo contra o Sampaio Corrêa, depois dos 40 minutos do segundo tempo. Também contribuiu com três assistências. Teve apenas um momento ruim com a camisa rubro-negra. Foi na derrota diante do lanterna, Náutico, quando ele perdeu um gol cara a cara com o goleiro, com a partida estava 0 a 0. No lance seguinte, o Timbu abriu o placar, naquela que seria uma das duas derrotas do Ituano com Paiva em campo.

Fonte: GE







Você pode gostar...