Súmula de Sport x Vasco relata expulsões e agressões a jogadores e a bombeiros





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

O árbitro Raphael Claus divulgou a súmula do duelo entre Sport x Vasco, que terminou precocemente após invasão de campo da torcida rubro-negra. O jogo na Ilha do Retiro aconteceu até os 48 minutos do segundo tempo, momento do gol de Raniel, mas terminou encerrado – em empate por 1 a 1 – depois de mais de 50 minutos de paralisação. O árbitro relatou a confusão e confirmou a expulsão dos jogadores do Vasco Raniel e Luiz Henrique.

– A torcida do Sport estourou o portão atrás do gol onde defendia a equipe do Sport, e começa uma invasão de muitos torcedores, não somente pelo portão, mas também por outros pontos da arquibancada.

“Informo que os mesmos agrediram jogadores visitantes, que imediatamente correram para o seu vestiário, um senhor e uma senhora bombeiros civis que estavam trabalhando próximos ao portão, inclusive continuaram sendo agredidos após a senhora já estar caída e o senhor tentando protegê-la”.

O árbitro relatou que Raniel recebeu dois cartões amarelos, e o consequente vermelho, após o gol de pênalti que empatou o jogo. O primeiro cartão por ter tirado a camisa na comemoração, e a segunda advertência por “provocar a torcida adversária na comemoração de um gol”. O meia reserva Luiz Henrique, por sua vez, tomou o cartão vermelho direto por conduta violenta de “jogar um tênis em direção a torcida da equipe mandante de forma agressiva”.

Além disso, disse que não via segurança para terminar a partida. Razão pela qual encerrou o jogo 45 minutos após paralisá-lo.

– Comunicamos o encerramento da partida por não sentir segurança em relação a minha integridade física e dos demais profissionais envolvidos no jogo, além do ambiente totalmente impossibilitado para a prática do esporte futebol, a partida foi encerrada. Informo ainda que o comunicado ocorreu aproximadamente 45 minutos após o jogo ter sido paralisado.

A súmula na íntegra

 





“Durante a comemoração do gol da equipe do Vasco da Gama, próximo à torcida do Sport, muitos objetos foram atirados ao campo de jogo em direção aos jogadores, entre eles pedras, chinelos, tênis, isqueiros e copos com líquido. Nesse momento, a torcida do Sport estourou o portão atrás do gol onde defendia a equipe do Sport, e começa uma invasão de muitos torcedores, não somente pelo portão, mas também por outros pontos da arquibancada. Informo que os mesmos agrediram jogadores visitantes, que imediatamente correram para o seu vestiário, um senhor e uma senhora bombeiros civis que estavam trabalhando próximos ao portão, inclusive continuaram sendo agredidos após a senhora já estar caída e o senhor tentando protegê-la. Após observarmos todas essas ocorrências, vermos muitos torcedores sendo atendidos dentro do campo de jogo e por sentirmos falta de segurança, nos dirigimos ao vestiário de arbitragem, onde me reuni com os dirigentes, Augusto Carreras, do Sport, e Paulo Bracks, do Vasco, os treinadores Claudinei Oliveira, do Sport, e Jorge de Amorim Campos, do Vasco, e o tenente coronel da Polícia Militar Washington Souza, comunicando o encerramento da partida por não sentir segurança em relação a minha integridade física e dos demais profissionais envolvidos no jogo, além do ambiente totalmente impossibilitado para a prática do esporte futebol, a partida foi encerrada. Informo ainda que o comunicado ocorreu aproximadamente 45 minutos após o jogo ter sido paralisado” relatou Raphael Claus.

Sabino segura torcedor que tenta agredir arbitragem em Sport x Vasco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Sabino segura torcedor que tenta agredir arbitragem em Sport x Vasco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Entenda a confusão

 

O Sport vencia o Vasco por 1 a 0 na Ilha do Retiro até que foi assinalado pênalti para o Cruz-Maltino, após intervenção do VAR, convertido com sucesso por Raniel para empatar o placar em 1 a 1, aos 49 minutos do segundo tempo. O jogador comemorou em frente à arquibancada da sede, setor onde costuma ficar membros de organizada do Sport.

Depois da provocação, objetos foram arremessados em direção aos jogadores do time carioca, que rapidamente correram para os vestiários quando parte da torcida conseguiu arrombar um dos portões de acesso das arquibancadas ao campo.

Juliana Martins, bombeira que estava prestando serviços no jogo, inclusive, foi agredida com chutes por um torcedor rubro-negro. Companheiro de função, Diego Correia também estava no local, tentou conter os invasores, mas recebeu um soco no rosto. Ambos prestaram Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Frame bombeira agredida Sport Vasco — Foto: Reprodução TV Globo

Frame bombeira agredida Sport Vasco — Foto: Reprodução TV Globo

Uma confusão – longe de terminar, diga-se – repleta de alfinetadas. Principalmente por parte de Claudinei Oliveira, técnico do Sport. O comandante rubro-negro ironizou a declaração de Jorginho, treinador do Vasco, ao alegar falta de segurança na Ilha do Retiro para terminar os oito minutos restantes do jogo.

“Ele disse que não vale jogar porque ele é avô, o que vale é a vida. Lógico, o resultado interessa para ele”, disse.

Técnico do Sport critica fim de jogo entre Sport e Vasco após confusão de torcida

A postura de Raniel, além do próprio pênalti marcado a favor do Vasco, não passou em branco por Claudinei. O técnico leonino tratou a comemoração provocativa do atacante cruzmaltino como o estopim da invasão na Ilha do Retiro, e disparou: “o crime compensa”.

Ninguém está achando certo o que a torcida fez, agora o que deu causa a isso foi uma atleta do Vasco que está sendo beneficiado para jogar 4 minutos a menos e levar o empate. Então, o crime compensa. Se hipoteticamente eu tiver ganhando o jogo que vai me dar um acesso, arrumo uma confusão, provoco a torcida adversária, eles invadem o campo e acabou o jogo. Não tem lógica isso”, afirmou.

Fonte: ge







Você pode gostar...