Da frustração pela reserva ao gol, Nenê é decisivo e se aproxima do objetivo de conduzir o Vasco à Série A





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

Titular durante toda temporada, Nenê soube durante a semana que começaria no banco contra o Criciúma e não gostou em um primeiro momento. Após conversa com Jorginho, entendeu a decisão e não deixou transparecer a insatisfação. E quis o destino que o camisa 10 fosse um dos heróis da virada por 2 a 1 sobre o Criciúma, neste sábado. Ele entrou no segundo tempo e iniciou a reação.

Após a partida, Nenê exalava alegria. Não somente pelo gol, mas principalmente pela proximidade do acesso. O Vasco pode garantir a volta à Série A na próxima rodada até mesmo com um empate, dependendo dos outros resultados. Se vencer, já se juntará a Cruzeiro e Grêmio, clube com acesso assegurado antecipadamente.

– É uma mistura de sentimentos. Primeiro o alívio por estar no caminho certo. E depois um sentimento de muita alegria porque, quando voltei no ano passado, disse que precisava ajudar o clube a subir para a Série A e não conseguimos. Foram poucos jogos, mas eu queria ter conseguido. Então hoje para mim está tendo uma representação muito grande na minha carreira.





– Eu já estou terminando. Tive emoções muito fortes no Vasco. Aprendi a amar esse clube. O respeito que tenho por esse clube é muito forte. Me sinto feliz e orgulhoso de participar e, se Deus quiser, concretizar essa missão de levar o Vasco à Série A – disse Nenê.

Nenê foi muito elogiado por Jorginho após a vitória sobre o Criciúma. O treinador revelou que o camisa 10 não entendeu a barracão logo que soube que deixaria a equipe titular, mas depois aceitou e teve postura exemplar nos treinos, sempre em alto astral. Jorginho, no entanto, foi além e revelou que, em sua opinião, Nenê é o melhor jogador que ele comandou na carreira.

Nenê saiu do banco e abriu o caminho para virada do Vasco — Foto: André Durão

Nenê saiu do banco e abriu o caminho para virada do Vasco — Foto: André Durão

Ao saber dos elogios do técnico, Nenê retribuiu e explicou como reagiu ao saber que deixaria o time titular.

– É claro que nenhum jogador gosta de sair, mas entendi, ainda mais para a entrada do Alex Teixeira, estamos sempre juntos. E nesse momento também tem a questão do exemplo. Isso é extremamente importante para a molecada. Foi um jogo também. Não é nada demais. Estamos na reta final. Falei para o Jorginho que entedia e respeitava a decisão. E quis dar o exemplo. Tentei ajudar de fora. Graças a Deus tive a oportunidade de entrar e ajudar o time a vencer.

Fato raro: Nenê iniciou a partida no banco do Vasco — Foto: André Durão

Fato raro: Nenê iniciou a partida no banco do Vasco — Foto: André Durão

– Minha relação com Jorginho é maravilhosa. Desde a primeira passagem pelo Vasco. Ele é um cara muito humano, muito correto, conversa olho no olho com todos. Dá importância para todos. É um cara que respeito e admiro muito. E o mais importante é o Vasco subir e deu tudo certo. Eu quero agradecer o Jorginho pessoalmente por essa declaração. Fiquei muito honrado. Ele já treinou muitos jogadores, e me citar dessa maneira é realmente uma coisa que me deixa muito feliz.

Aos 41 anos e com contrato até dezembro, Nenê também reiterou a vontade de seguir no Vasco na próxima temporada.

– Já falei que meu sonho é jogar a Libertadores pelo Vasco. Vamos ver se a gente aguenta. Mas se depender de mim, com certeza vou ficar. Muita motivação depois de tudo que estamos conseguindo. É claro que isso é assunto mais para frente. Mas para mim seria muito legal encerrar a minha carreira da forma que eu sempre esperei.

Fonte: ge







Você pode gostar...