Especialista, Jorginho promete impacto na lateral direita do Vasco: “Vão subir de produção”





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

Motivo de preocupação para os vascaínos nos últimos jogos, a lateral direita é uma das questões que precisam ser trabalhadas no Vasco para a reta final da Série B do Brasileirão. Matheus Ribeiro e Léo Matos, únicas opções para a posição dentro do elenco, vivem um momento de baixa. Com a chegada do técnico Jorginho, um exímio especialista no assunto, no entanto, a expectativa é de que as coisas sejam ajustadas.

Jorginho fala em “volta para casa” ao ser apresentado no Vasco: “Planejo ficar aqui muito tempo”

Desde a lesão de Gabriel Dias, a lateral direita do Vasco ainda não encontrou estabilidade. Gabriel se machucou na vitória sobre o Londrina ainda no primeiro turno, em junho, mas foi tirado de combate para realizar cirurgia somente um mês depois, em julho, após empate com a Chapecoense em São Januário. Ele volta só na próxima temporada.

“Em relação às laterais, conheço bem essa posição, talvez eu possa falhar em outras, mas nessa eu não posso”, brincou Jorginho durante sua apresentação.

– Da forma como eu usá-los, tenho certeza que vão subir de produção, vão ter mais confiança – acrescentou o novo treinador do Vasco, que foi um lateral-direito de sucesso.

Jorginho orienta Edimar e Quintero no treino do Vasco — Foto: Daniel Ramalho / CRVG

Jorginho orienta Edimar e Quintero no treino do Vasco — Foto: Daniel Ramalho / CRVG





Gabriel Dias vinha desempenhando bem sua função na lateral nesta Série B, sobretudo defensivamente. Léo Matos, até então única opção para substituí-lo no elenco, assumiu a posição no tempo em que o companheiro ficou no departamento médico e também quando saiu machucado contra a Chape, aos 32 minutos do primeiro tempo. Léo, no entanto, nunca chegou a gozar da confiança absoluta da torcida.

Contratado recentemente, Matheus Ribeiro chegou praticamente já assumindo a titularidade: sua estreia foi na derrota para a Ponte Preta, em Campinas, quando entrou justamente no lugar de Léo Matos. Foi titular contra Tombense, CSA e Bahia na sequência, mas sacado por Emílio Faro no jogo seguinte, contra o Guarani. O jogador de 29 anos tem passado pouca segurança na defesa.

Ele voltou a ser titular no último fim de semana, na derrota para o Brusque, porque Léo Matos estava suspenso.

Paulo Bracks afirma que Vasco não tem “necessidade de venda” e garante que não há negociação por Andrey

Jorginho tratou de encher a bola dos laterais que tem à disposição no elenco do Vasco, inclusive os esquerdos, e disse que espera vê-los atuando no ataque tanto quanto na defesa.

– Temos bons laterais com características totalmente diferentes, principalmente do lado esquerdo, onde eu tenho o Edimar, jogador muito experiente, um equilíbrio muito grande em termos ofensivos e defensivos, tenho o Paulo Victor, que é um jovem que tem mais capacidade em termos físicos, aquele que vai mais dentro, é mais agudo. Do lado direito, eles se assemelham um pouco mais, o Leo é muito experiente, pela sua idade, rodagem, o Matheus é um pouco diferente – disse o comandante vascaíno.

– Se você pega um jogador que não tem tanta velocidade, precisa de um jogador para apoiar pelo lado, porque ele não vai ser esse cara para ultrapassar, como eu era, que ultrapassava o tempo todo. Se você tem um jogador como Paulo Victor, agudo, você tem que trabalhar dessa maneira com ele, tem que dar o corredor – completa o treinador.

– Quando você basicamente monta a linha de cinco nossa de ataque, você é um atacante. Não é que ele vai esquecer de voltar, ele vai voltar por dentro. Mas naquele momento, a função dele é justamente chegar na linha de fundo, dar um cruzamento, passe para trás, cavadinha. É fundamental que ele entenda ali no momento quem ele é – concluiu.

Léo Matos, do Vasco, em ação contra o Guarani — Foto: Daniel Ramalho / CRVG

Léo Matos, do Vasco, em ação contra o Guarani — Foto: Daniel Ramalho / CRVG

Jorginho foi um lateral-direito de sucesso. No Vasco, por exemplo, conquistou os títulos do Brasileiro e da Mercosul de 2000. Também foi campeão brasileiro pelo Flamengo, bicampeão nacional com o Kashima Antlers (Japão) e campeão da Copa do Mundo com a seleção brasileira em 1994.

Fonte: Ge







Você pode gostar...