Paulo Victor é apresentado: “Amor pelo Vasco nunca mudou”





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

O Vasco apresentou, nesta quarta-feira, seu segundo reforço dessa janela de transferências. Depois de Alex Teixeira, principal contratação do clube, o lateral-esquerdo Paulo Victor. Ele vestirá a camisa 66.

Nascido em Bocaiúva, em Minas Gerais, PV tem pai e mãe carioca e foi criado no Rio de Janeiro. É torcedor do Vasco e já frequentou muito São Januário como torcedor. O amor pelo clube foi citado pelo lateral em sua coletiva de apresentação.

– Pressão maior para mim e dentro de casa também. Jogar no Vasco é uma sensação inexplicável, amor que eu tenho pelo Vasco, apesar de afastado, nunca mudou. Espero dar meu melhor em campo, em tudo – afirmou PV.

O lateral revelou que o título da Série B em 2009 foi o primeiro que ele acompanhou como torcedor. Naquele ano, o gol da conquista (Vasco 2 x 1 América-RN) foi marcado por Alex Teixeira, recém-contratado pelo clube e com quem PV passou a dividir o vestiário.

– Meu pai sempre foi muito vascaíno, passou essa paixão pra gente. Quando o Vasco foi para a Série B, passamos a acompanhar mais. Foi o primeiro título do Vasco que acompanhei. Depois do Maracanã, fui pra casa em êxtase, ainda mais que era criança. Eu tinha oito anos. Quando cheguei no vestiário, Alex Teixeira foi primeira pessoa a me cumprimentar. Arregalei o olho. Eu o vi em campo e agora posso ser companheiro dele.

Paulo Victor é apresentado pelo Vasco — Foto: Tébaro Schmidt/ge

Paulo Victor é apresentado pelo Vasco — Foto: Tébaro Schmidt/ge

O jogador de 21 anos chega por empréstimo junto ao Internacional até 31 de julho de 2023, com opção de compra. Gerente de futebol do Vasco, Carlos Brazil falou sobre o novo reforço.

– Estamos aqui para apresentar mais um reforço, veio do Inter emprestado, com opção de compra. A gente tinha uma necessidade de trazer um lateral-esquerdo pelo acidente do Riquelme, vimos no PV uma oportunidade muito boa para nos reforçar. Tenho certeza que vai nos ajudar no objetivo final da Série B, de atingir o acesso. Ele continua com a gente no decorrer do tempo, tenho certeza que vai ter sucesso, se Deus quiser, para o Vasco contratá-lo em definitivo – disse Brazil.

Pai de PV, Carlos foi quem passou para os filhos a paixão pelo Vasco. Ele acompanhou a coletiva de apresentação do filho e também contou como foi a negociação do lateral com o clube.

– Dá para perceber que eu estou um tanto quanto emocionado, ver meu filhão, que eu amo tanto, vestindo essa camisa. Em algum momento da minha vida fui taxado como maluco por investir nesse moleque, às vezes fazendo loucuras. Hoje eu vejo que Deus tinha um propósito. Sim, somos uma família vascaína, podem pesquisar. Tenho uma foto do PV, de meses, olhando para uma foto do Vasco. Nós morávamos em Minas, eu tenho essa foto. Vi essa foto essa semana, fiquei emocionado. Parece que ali ele estava dando o ok para o Vasco, coisa de Deus. Muito, muito feliz. Minha esposa está em Porto Alegre preparando a mudança.

– Mesmo com PV no Inter, nunca deixei de acompanhar o Vasco Quando vi que Riquelme se machucou, vi uma oportunidade. Ele tem características parecida com as do Riquelme, idade parecida, será que vai te oportunidade de jogar no clube do coração? Conversei com o empresário, nos ajudou bastante. Fiz contato com ele, ele fez contato com o Vasco. O Inter vendeu um lateral-esquerdo recentemente, a informação que tínhamos lá é que ele voltaria a ter espaço.

– Mas quando pintou oportunidade, falei para o empresário: o Vasco é uma convocação, não tem como recusar. Quando as coisas começaram a evoluir, ele estava dormindo. Falei: “Filho, vamos para o Vasco”. Ele: “Vamos, pai”. Ele levantou, veio atrás de mim, a mãe dele já estava meio chorando. Vocês vão conhecer o irmão dele, é o mais vascaíno entre os vascaínos. Me mandou mensagem: “É sério?”. Isso foi rápido, na terça passada – contou o pai de Paulo Victor.

Paulo Victor e o pai Carlos em São Januário — Foto: Daniel Ramalho / CRVG

Paulo Victor e o pai Carlos em São Januário — Foto: Daniel Ramalho / CRVG

Revelado nas categorias de base do Nova Iguaçu, PV teve destaque com a camisa do Botafogo em 2021, sendo negociado com o Inter por R$ 3 milhões. No clube gaúcho, o lateral-esquerdo fez 19 jogos no ano passado e acabou perdendo espaço nesta temporada, com apenas oito partidas, todas pelo Campeonato Gaúcho.

O Vasco anunciou três reforços nesta janela. Nesta quarta, o clube anunciou o atacante Fábio Gomes e, antes de PV, havia fechado com o atacante Alex Teixeira, que já estreou. Há ainda negociações encaminhadas com os atacantes Bruno Tubarão e Gustavo Maia e com o lateral-direito Matheus Ribeiro.

Outras declarações de PV:

Dá para perceber eu estou um tanto quanto emocionado, ver meu filhão, que eu amo tanto, vestindo essa camisa. Eu em algum momento da minha vida fui taxado como maluco por investir nesse moleque, as vezes fazendo loucuras. Hoje eu vejo que Deus tinha um propósito. Sim, soomos uma famíia vascaína, podem pesquisar. Tenho uma foto do PV, de meses, olhando para uma foto do Vasco. Nós morávamos em Minas, eu tenho essa foto. Vi essa foto essa semana, fiquei emocionado. Parece que ali ele estava dando o ok para o Vasco, coisa de Deus. Muito, muito feliz. Minha esposa está em Porto Alegre preparando a mudança, se Deus quiser vai jogar, pelo menos alguns minutos

Características

– Eu tenho poder ofensivo bom. Edimar tem características diferentes, quando precisar de um lateral mais ofensivo, pode contar comigo. Eu vou continuar treinando para melhorar na defesa. O torcedor do Vasco pode esperar que eu dê sangue em cada bola disputada.





Condição física

– Eu ainda não sei, ainda não treinei, fiquei um tempo parado. Faltou amadurecimento (no Inter). Às vezes temos que ter erros para amadurecer. Lá eu cometi um erro que me fez pensar sobre mim. O erro foi a expulsão no Gre-Nal, me arrependo. Foi um lance bastante infantil que acabou tendo consequência negativa para mim.

Referência como lateral

– Vi o Felipe jogar mais no meio. Minhas referências são Roberto Carlos, o Marcelo. Meu ídolo no Vasco é o Juninho Pernambucano.

Emoção do pai

– Ficha do meu pai demorou bastante a cair, sonho não só dele, da família toda. Emoção para ele. Eu estava dormindo, ele me acordou para contar, no início achei uma brincadeira. Depois despertei. Como era o sonho de todo mundo, a gente nem pensou muito. Sonho dele era o meu também.

Fonte: Ge







Você pode gostar...