CSA consegue efeito suspensivo e técnico Roberto Fernandes poderá comandar o time contra o Vasco





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

O CSA conseguiu liberar o técnico Roberto Fernandes para comandar a equipe na próxima rodada da Série B. Após cumprir uma das duas partidas de suspensão aplicada pelo STJD do Futebol, o treinador obteve o pedido de efeito suspensivo e poderá atuar até o julgamento do recurso em última instância. O efeito suspensivo foi deferido nesta terça, dia 16 de agosto, pelo auditor Felipe Bevilacqua.

A pena de Roberto Fernandes foi aplicada por infração cometida quando ainda comandava o Náutico. Na súmula da partida contra a Tombense, o árbitro informou que, quando a equipe de arbitragem entrava no vestiário, o então treinador Roberto Fernandes, proferiu aos gritos na porta do vestiário do Náutico ofensas contra a arbitragem. O treinador foi denunciado no artigo 243-F.

Julgado no dia 05 de agosto, pela 5ª Comissão Disciplinar do STJD do Futebol, Roberto Fernandes teve a conduta desclassificada para reclamação desrespeitosa e foi punido com dois jogos de suspensão por infração ao artigo 258, inciso II do CBJD.

Contratado pelo CSA, o novo clube ingressou com recurso pedindo efeito suspensivo para que o treinador possa atuar até o julgamento final no Pleno do STJD. O pedido foi deferido pelo relator do processo, auditor Felipe Bevilacqua.





Confira abaixo a comunicação enviada ao CSA:

“De ordem do Auditor Relator deste Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Felipe Bevilacqua de Souza, referente ao Processo nº 164/2022 – STJD – Recurso Voluntário- – Recorrente: CSA, em favor de seu treinador José Roberto Fernandes Barros – Recorrido: Quinta Comissão Disciplinar, informo que através de despacho, foi deferido o pedido de efeito suspensivo pleiteado pelo Clube.

Informo outrossim que​ o despacho será enviado posteriormente”.

Ainda não há data para julgamento do recurso no Pleno.

Fonte: STJD






Você pode gostar...