Apresentado, Fábio Gomes escolhe número 97: “Vasco foi campeão brasileiro”





Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Entre no grupo de whatsapp da CENTRAL DO VASCO, SOMENTE NOTÍCIAS, SEM CONVERSAS!CLIQUE AQUI!

Reforço do Vasco na janela, o centroavante Fábio Gomes foi apresentado nesta sexta, no CT Moacyr Barbosa. Emprestado pelo Atlético-MG até o fim da Série B, ele vai usar a camisa 97 e falou sobre suas características.

– Agradeço por ter chegado aqui, ter sido bem recebido, a torcida me abraçou. Eu sou um cara de área, alto, cabeceio bem, sou rápido por ser alto, isso me dá um apoio muito grande. Quero ajudar a equipe da melhor maneira. Jogador tem que estar pronto pra tudo, se precisar de mim na terça eu vou estar a disposição. Conversei com Emílio, falei que vinha treinando, indo pros jogos do Atlético, se precisar de mim, eu estou pronto – disse Fábio.

Fábio Gomes é apresentado no Vasco — Foto: Emanuelle Ribeiro

Fábio Gomes é apresentado no Vasco — Foto: Emanuelle Ribeiro

Depois da coletiva de Fábio Gomes, o Vasco anunciou o atacante Bruno Tubarão, que estava no Bragantino. Ele chega por empréstimo até o final da temporada. Nesta janela de transferências, o Vasco já anunciou Bruno Tubarão, Alex Teixeira, Fábio Gomes e Paulo Victor. Há acerto ainda com Gustavo Maia e Matheus Ribeiro.

Fábio Gomes explicou o motivo de usar a camisa 97 no Vasco e recordou o título brasileiro de 1997.

– Sempre usei a 9, o 97 é o ano do meu nascimento. Sabemos que o 97 pro Vasco é importante, quando o time foi campeão brasileiro. Quando olhei a história do Vasco escolhi esse número. Naquele ano tinha Edmundo, fazia muitos gols, tenho que me espelhar nele.

O gerente de futebol Carlos Brazil falou sobre a contratação de Fábio.





– Estamos aqui para apresentar mais um reforço dentro do projeto de acesso. Antes, posso dizer que podemos anunciar também a contratação do Eguinaldo, só falta assinar, mas tudo alinhado, contrato de cinco anos, passa a ser jogador do Vasco. Antes tentamos o Fábio, estava nos EUA, não conseguimos contratar. Agora ele vem por empréstimo, com opção de compra, espero que possa dar alegria aos nossos torcedores.

Fábio falou sobre esse contato que o Vasco fez quando o jogador estava nos Estados Unidos. O atacante revelou que ligou para Yuri Lara, um dos destaques da temporada, e amigo do atacante, e o volante incentivou a vinda.

– Tive muitas propostas, mas quando falaram Vasco eu não pensei duas vezes. Quando eu estava nos EUA eles vieram atrás de mim, quando chegou agora o interesse de novo não pensei duas vezes. Liguei pro Yuri, que está aqui e é meu amigo, e ele disse: “só vem”. Estou muito feliz pelo apoio da torcida, estou me adaptando aqui.

Com 1,93m, Fábio era meia na base, mas pela altura, começou a ser escalado como atacante e virou artilheiro. O novo reforço do Vasco tem experiência na Série B. O atacante jogou a competição pelo Oeste em 2019, quando marcou 14 gols em 32 jogos e foi vice-artilheiro do campeonato.

– A Série B é difícil, joguei essa competição em 2019 antes de ir pros EUA. A Série B nunca será fácil, todos têm seus objetivos, estamos aqui buscando o acesso e até mesmo o título. Conheço bem a competição, sei dos atalhos, espero corresponder – disse Fábio Gomes.

Fábio também disse estar ansioso pelo encontro com a torcida vascaína, e afirmou que a recepção que vem recebendo tem sido muito positiva.

– Estou ansioso pelo encontro, louco para fazer um gol e correr para os braços da torcida. Eles me apoiaram como nunca tinha visto, o que me deixa leve.

Na apresentação, Fábio Gomes falou sobre o significado da tatuagem que tem, escrita com o nome “Claudemir”, homenagem para o tio do atacante, que o ajudou bastante na carreira.

– Meu tio Claudemir não está comigo hoje, mas sempre me ajudou a chegar onde estou hoje. Ainda mexe comigo um pouco, porque eu sei que de lá de cima ele nunca me abandonou. Estou aqui por causa dele. Sempre meus primeiros gols são pra ele. Nunca tive um pai presente, meu pai faleceu quando tinha quatro anos, então meu tio me levava para os treinos, às vezes não tínhamos o que comer, às vezes eu pulava catraca para ir treinar e ele ajudava. Muita saudade dele, mas sei que está torcendo por mim.

Outros pontos da coletiva

Chegada da SAF
Não pensei nisso (que pode ser outro ambiente na semana que vem), só pensei em buscar os objetivos, conseguir o acesso, ajudar o Vasco a conseguir o objetivo.

Concorrência no ataque
O ambiente tem que ser saudável, não importa quem joga ou fica no banco, quem escolhe é o técnico. Raniel foi a primeira pessoa que eu vi, me deu um abraço forte, me senti num lugar muito bom, estou leve. O mais importante é ajudar o Vasco. Sentia isso também no Atlético, tanto que frequentava a casa do Hulk. Mas é outra realidade, outros campeonatos, andava com Arana, Rever, não tinha diferença por ter chegado depois. E me sinto assim no Vasco também.

Fonte: Ge







Você pode gostar...