Zé Ricardo resume sentimento depois de empate do Vasco na estreia: “Decepção é a palavra”


Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

A estreia do Vasco na Série B frustrou os 17.251 torcedores que praticamente lotaram São Januário para incentivar a equipe. Mesmo com a casa cheia, o time jogou mal e ficou só no empate em 1 a 1 contra o Vila Nova. O Vasco abriu o marcador com Raniel, mas viu Arthur Rezende deixar tudo igual minutos depois. O apoio da torcida se transformou em protesto e o time deixou o campo sob críticas. Uma decepção, no entender do técnico Zé Ricardo.

Na coletiva, o comandante foi perguntado sobre o tema e falou das expectativas da equipe para a partida:

– Decepção é a palavra, certamente todos esperávamos mais, o clima que foi criado para essa partida era bom, principalmente sabendo que os ingresso estavam esgotados, criou-se uma expectativa para fazermos um bom jogo, sair daqui com o resultado. O jogo era em casa, precisávamos dos três pontos, série B é complicada, em casa precisamos confirmar. Começamos bem a partida, conseguimos fazer o gol mas levamos o empate em seguida, e isso tirou um pouco o nosso equilíbrio. A pressão aumenta conforme o tempo vai passando, mas temos que entender que a estreia tem alguns fatores que acabam pesando. Mas certamente precisamos trabalhar mais para, em Maceió, no próximo jogo, recuperarmos os pontos que deixamos aqui.

Zé Ricardo gesticula para o time na estreia do Vasco na série B do Brasileirão — Foto: André Durão

Zé Ricardo gesticula para o time na estreia do Vasco na série B do Brasileirão — Foto: André Durão

O técnico também comentou sobre a reação de Nenê ao ser substituído na metade do segundo tempo. O capitão do time saiu irritado e jogou a braçadeira no chão. Zé Ricardo evitou criar polêmica sobre o assunto e afirmou que é ele quem manda na equipe:

– A gente não teve conversa depois do jogo. No vestiário, só fizemos a roda. Não tive conversa. Cabeça quente. Não foi a primeira vez que o Nenê fez isso, em outros clubes ele também já fez. Ele quer jogar o tempo todo. É nossa referência. Naquele momento, entendi que o primeiro volante do Vila Nova estava tendo facilidade para jogar. O Vasco não conseguia com ele ou com o Raniel fechar as diagonais. Não estávamos conseguindo pressionar a saída de bola do adversário. Então eu entendia sangue novo poderia resolver. Tanto Getúlio, quanto Figueiredo poderiam fazer essas funções, sem deixarmos de ser agressivos, de ter presença na área. Essa foi a decisão. Entendo que foi uma reação de quem desejava estar em campo. Não vou polemizar, até porque não conversamos. Isso a gente resolve internamente. Se tiver de tomar alguma decisão diferente, eu tomarei. Enquanto eu estiver à frente do Vasco, sou a voz que decide. A minha decisão é sempre pelo bem do Vasco.

No próximo sábado, o Vasco jogará diante do CRB. A partida no Rei Pelé, em Maceió, está agendada para as 19h.

Confira outras respostas de Zé Ricardo:

 

O que não deu certo?

– Nós não podemos tirar os méritos do adversário, o Vila Nova veio para jogar em uma proposta de contra-ataque, e eu acho que o Vasco realmente deixou a desejar na questão da organização. Tivemos momentos bons e ruins na partida, essa instabilidade, creio eu, muito por conta da ansiedade, e infelizmente não conseguimos chegar próximo ao gol do Vila Nova em boas oportunidades, e tivemos um pouco de dificuldade nas finalizações. De qualquer forma vamos abraçar nosso grupo, amanhã temos treino, precisamos trabalhar bastante porque o resultado a gente lamenta mas temos que visar o próximo jogo.

Ambiente de pressão

Acredito que quando as coisas não acontecem em uma clube como o Vasco, com a responsabilidade que nós temos, muitas feridas são abertas. Fui contratado para tirar o Vasco dessa situação e vou tirar, nós vamos trabalhar muito nesse sentido. Tenho de focar no que a gente pode controlar. Não posso perder energia com o que não consigo controlar. Espero que o futuro seja o melhor pelo clube. Eu tenho um carinho, um respeito muito grande pelo Vasco. Saio chateado por não termos conseguido a vitória, porque tenho uma relação mais do que profissional com o clube. O compromisso que nós temos é sempre trabalhar no nosso limite, se hoje isso não foi suficiente, nossa única tarefa é continuar trabalhando. Vamos buscar corrigir os erros e recuperar pontos em Maceió.

Dificuldade da Série B

A realidade é essa: a competição é muito difícil. Temos de evoluir sempre, cada jogo é uma grande decisão. Hoje a gente perdeu a oportunidade de começar com três pontos. Mas eu acredito muito no grupo. Todo mundo sabe a dificuldade que foi montar o grupo. A nova empresa chegou já com o time disputando o Campeonato Carioca. Nós estamos tentando corrigir algumas coisas que podemos melhorar, alguns jogadores que chegaram talvez possam ter condição de estrear na próxima rodada. Espero que com isso e com o trabalho de todos, a gente possa evoluir. Em uma competição como a Série B, há muita alternância. Espero que, o quanto antes, a gente possa melhorar o nosso desempenho, para ficarmos mais próximos da vitória e estar brigando entre os quatro pelo acesso para a série A.

Reforços

Os reforços já estão treinando mas só vamos colocar para jogar quem estiver 100% em condições. Se eu começar a falar de um ou outro atleta que possa estrear na semana que vem, talvez possa gerar uma expectativa que não se confirme. Temos tranquilidade e um protocolo a seguir. Espero que até quarta ou quinta-feira a gente possa dar uma posição melhor sobre esse assunto. Além disso, o Vasco sempre busca possibilidades para reforçar o elenco, está atento ao mercado, mas entendemos que a valorização dos atletas que estão à nossa disposição é o mais importante.

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...