‘Pantanal’: Guta enfrenta o pai após ouvir que Jove é um ‘flozô’


Saiba tudo sobre novelas! Se prepare para a nova novela das 9, entre no Grupo no facebook. Entre no Grupo de Novelas e famosos no Facebook Clique aqui


Julia Dalavia será Guta na nova versão de 'Pantanal' — Foto: João Miguel Júnior/Globo

Julia Dalavia será Guta na nova versão de ‘Pantanal’ — Foto: João Miguel Júnior/Globo

Nos próximos capítulos da novela das 9, Guta (Julia Dalavia) e Tenório (Murilo Benício) irão começar uma discussão por causa dos comentários preconceituosos que o fazendeiro faz sobre a sexualidade de Jove (Jesuíta Barbosa).

Ao lado da esposa, Maria Bruaca (Isabel Teixeira), ele soltará: “aquele moleque num passa d’um flozô!”

“Um sujeitinho frouxo que, se fosse filho meu, eu afogava! Homem tem que sê homem… E mulher tem que sê mulher”, continua Tenório.

 

Julia Dalavia é Guta em 'Pantanal' — Foto: João Miguel Júnior

Julia Dalavia é Guta em ‘Pantanal’ — Foto: João Miguel Júnior

Inconformada, Guta pergunta ao pai:

“Então quer dizer que, se eu fosse lésbica, o senhor também me afogaria? Se eu amasse outra mulher, como seria?”

 

“Um desgosto como esse Deus nunca iria me dar!”, rebate Tenório.

 

Mas, a moça se levanta e enfrenta o pai com olhos firmes:

“Mas e se Deus te desse? E se eu ou, quem sabe, se o senhor tivesse um outro filho, homem, que fosse homossexual… O senhor faria o quê?”

 

“Se Deus me desse um desgosto desses, Maria Augusta, eu ia rezar pro diabo levar!”, revela Tenório deixando mãe e filha sozinhas.

 

Assustada com o que ouviu do próprio pai, Guta questiona como a mãe foi capaz de se casar com ele. E Maria tenta ajeitar a história dizendo que foi apenas uma forma de Tenório falar.

Tenório (Murilo Benício), Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e Guta (Júlia Dalavia) em 'Pantanal' — Foto: Fábio Rocha/Globo

Tenório (Murilo Benício), Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e Guta (Júlia Dalavia) em ‘Pantanal’ — Foto: Fábio Rocha/Globo

“Só jeito de falar?! Julgar o valor de alguém com base na sua orientação sexual?! Aliás… Com base na sua condição sexual, porque isso, além de não ser uma doença, é algo natural… Uma questão fisiológica, uma condição de existência, não uma escolha!”

 

Tentando minimizar os ânimos alterados da filha, Maria diz: “Ele diz isso só entre nós”.

“E onde a senhora acha que nasce a violência? Toda a opressão contra a comunidade LGBT? É dentro de casa! É porque naturalizamos esse tipo de comentário, esse tipo de “brincadeira” que o Brasil é o país no mundo aonde mais se mata LGBTs!”, finaliza Guta, deixando sua mãe sozinha e totalmente confusa.

Fonte: Gshow

Você pode gostar...