Ulisses: 'Não tem mais isso de menino da base, sou profissional, estou mais maduro' - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Ulisses: ‘Não tem mais isso de menino da base, sou profissional, estou mais maduro’


Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Ajudar a família. O sonho de milhares de jovens que buscam o sucesso no futebol é compartilhado também por Ulisses, zagueiro do Vasco. Criado no Grajaú, zona sul de São Paulo, o jogador de 22 anos começou a jogar bola tarde, aos 15 anos, e três anos depois chegou a um dos maiores clubes do país. Inicia 2022 mais próximo de conquistar o objetivo e já foi titular nos três primeiros jogos da temporada.

Ulisses em treino do Vasco — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Ulisses em treino do Vasco — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Olho no olho com Zé

 

Depois de passar em um teste no Audax-SP, Ulisses enfrentou problemas que o impediram de continuar no clube e acabou no Atlético Diadema, time de menor expressão na região metropolitana de São Paulo. Chegou ao Vasco em 2017, quando foi campeão carioca sub-20 e, em 2019, foi à final da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Há três anos no time profissional, o zagueiro tem a expectativa de fazer boa sequência com o técnico Zé Ricardo.

– Eu sempre trabalho muito, mesmo não jogando. Antes nosso time tinha o Castán, referência para todo mundo, e o treinador achou que eu não estava preparado. Não podia ficar reclamando. Agora com o Zé, procurei dar meu máximo, trabalhando cada dia mais, para continuar nessa sequência – afirmou Ulisses ao ge, e completou:

– Ele perguntou se podia contar comigo. Eu falei pra ele que não tem mais isso de menino da base, sou profissional, estou mais maduro. Creio que cheguei mais experiente para esses primeiros jogos de 2022.

Foco m melhorar

 

Apesar da titularidade, Ulisses reconhece que precisa melhorar para conquistar a confiança do torcedor e se garantir no time de Zé Ricardo, que tem ajudado o zagueiro nessa evolução. O atleta tem a sombra de Luis Cangá, que deve ganhar chance com o técnico neste domingo, diante do Madureira. O desgaste e a necessidade de observar o elenco são motivos para o treinador alterar o time.

– A torcida quer o melhor para o Vasco, como eu também quero. Eles vão cobrar e eu tenho que demonstrar em campo que sou capaz e que o Zé fez a escolha certa nesse começo de campeonato. A tendência é evoluir mais, o que eu sinto mais é o cansaço, porque fiquei um tempo parado, não vinha jogando e é normal sentir um pouco. Mas chego mais preparado. Todo mundo quer ajudar e vai jogar quem estiver melhor, vai ser uma disputa saudável – destacou Ulisses.

Ulisses em ação pelo Vasco contra o Volta Redonda — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Ulisses em ação pelo Vasco contra o Volta Redonda — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Além da ajuda do treinador, o jovem conta com a experiência dos colegas da defesa para crescer. Ouve muito o que Anderson Conceição, sua dupla até aqui, e o lateral-esquerdo Edimar têm a dizer. E revelou um conselho dos colegas para se soltar mais nos treinos e jogos.

– Está sendo muito bom fazer essa dupla com o Anderson, estou aproveitando para aprender. Ele diz que eu preciso falar mais, não só ele, mas o Cangá também. Que tenho que me comunicar mais, mas vou pegando isso no decorrer dos jogos. Falo, mas não falo muito.

 

Assistência e prêmio

 

O jogador vascaíno ficou R$ 500 mais rico na última quarta-feira, na vitória sobre o Nova Iguaçu, ao dar assistência para o gol de Raniel, que prometeu o valor como espécie de motivação para os colegas que o colocasse em boas condições de marcar. O que o centroavante não esperava era receber tão cedo passe decisivo de Ulisses, que gosta de aparecer como elemento surpresa no ataque.

– O principal objetivo é defender, mas quando dá pra chegar no ataque ajudo também. Desde a base eu busco isso. Estávamos todos ali perto, em cima, eu estava marcando lá no ataque, pude roubar a bola e dar a assistência para o Ranigol. Ele cumpriu e eu já recebi os quinhentão. Espero dar outras assistências e fazer gols, mas nosso principal objetivo é não tomar gol. Virou um desafio pra gente – contou o zagueiro.

Ulisses recebe o "bicho" de Raniel pela assistência para gol do Vasco — Foto: Reprodução/Instagram

Ulisses recebe o “bicho” de Raniel pela assistência para gol do Vasco — Foto: Reprodução/Instagram

Por que o desafio? O Vasco sofreu gols em todos os jogos do Carioca até o momento e, na última rodada, levou um susto com os dois gols marcados pelo Nova Iguaçu nos minutos finais, o que quase comprometeu uma vitória que estava muito bem encaminhada.

Saudade que vale a pena

 

Ulisses deixou a família pra trás para tentar a sorte no Rio de Janeiro. Com o calendário apertado do profissional, não teve muitas datas para voltar pra casa nos últimos anos. A saudade é grande, mas o zagueiro se vê crescendo em 2022 para, consequentemente, ser valorizado. A realidade atual o permite ajudar os familiares, mas o destaque no ano do acesso do Vasco, como sonha o jovem, o fará voar mais alto.

– (O Ulisses lá atrás no Grajaú) não pensava que fosse possível. Isso pra mim é um sonho. Até sonhava, mas não acreditava. Hoje estou aqui e vou agarrar essa oportunidade com as duas mãos. Estou focado no Vasco para corresponder e, aí sim, conseguir melhorar de vida – concluiu Ulisses.

O Vasco se prepara para o próximo adversário, o Madureira, às 15h30 de domingo, no Estádio Conselheiro Galvão, pela quarta rodada do Carioca. O time está em terceiro lugar com sete pontos, mesma pontuação de Botafogo e Flamengo, que têm um gol a mais de saldo.

Fonte: GE

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...