Rooney revela problemas com álcool durante a carreira: 'Me trancava por dois dias e bebia; havia muita raiva e dor' - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Rooney revela problemas com álcool durante a carreira: ‘Me trancava por dois dias e bebia; havia muita raiva e dor’


Wayne Rooney agora é treinador do Derby County Foto: ED SYKES / Action Images

Desde o caso da ginasta americana Simone Biles, dona de sete medalhas olímpicas, que abriu mão de provas importantes em Tóquio-2020 por causa da saúde mental, que este assunto está entre os mais comentados na área do esporte. Atletas e ex-atletas de várias modalidades têm contado como superaram problemas semelhantes ou como realizaram mudanças em suas vidas para tratar da saúde mental.

Wayne Rooney, de 36 anos e que estreou nos gramados com apenas 16 anos, se tornou o grande nome do futebol da Inglaterra, está nesta lista.

Rooney estreou na Premier League aos 16 anos pelo Everton, jogou e marcou pela Inglaterra aos 17, e fez três gols em um mesmo jogo na Liga dos Campeões, em sua estreia pelo Manchester United, aos 18 anos, após uma transferência de 27 milhões de libras.

O ex-capitão da seleção, hoje treinador do Derby County, Rooney concedeu entrevista ao The Mail e ao The Times e contou que estava despreparado para a vida sob os holofotes aos 16 anos. Relevou que regularmente fazia bebedeiras secretas de dois dias enquanto lutava com a fama. E como o álcool quase acabou com seu casamento e encerrou sua carreira de forma prematura.

Ele falou pela primeira vez, de forma honesta e sem receios, sobre como precisou de ajuda para lidar com a “sua raiva”.

— O que as pessoas não entendem é que você tem 17 anos, tem 18 anos. Você não deveria saber lidar com isso — fala sobre o salto ao estrelato, quando ele e a esposa Coleen eram muito novos. — Houve momentos em que eu tive alguns dias de folga do futebol, eu me trancava e apenas bebia para tentar apagar tudo isso da minha cabeça. As pessoas sabiam que às vezes eu gostava de beber ou sair, mas havia muito mais do que isso. Me trancar me fez esquecer alguns dos problemas com os quais eu estava lidando — revelou.

Rooney, o jogador mais talentoso da Inglaterra desde Paul Gascoigne, nunca falou sobre a raiva e a dor que percorreu grande parte de sua carreira de jogador e o fez reagir a alguns de seus maiores gols como se fossem atos de vingança contra um inimigo invisível .

Rooney reconheceu que essa atitude se refletiu tanto em sua vida esportiva quanto em sua vida pessoal, impactando diretamente em seu casamento com Coleen.

— Estava constantemente zangado e agressivo. Tinha muita dor dentro de mim. Foi um momento muito difícil. Você não pode fazer isso como atleta. Na época eu achava que estava bem, mas isso me impactou no final do meu tempo no Manchester United.

O ex-atacante também comentou que tudo mudou quando ele começou a fazer terapia e a verbalizar seus problemas. Rooney disse que aprendeu diferentes mecanismos de enfrentamento para administrar sua raiva ao longo dos anos, sentindo quando uma “explosão” estava chegando e quando ele “precisava sentar e conversar com alguém”.

—  Antes eu dizia ‘fod*-se’ e saía. Mas aprendi que precisava sentar e conversar. Falei com Coleen, com os pais dela e com os meus. Fiz isso quando senti que estava chegando a um momento ruim —  concluiu.

Não é por acaso que a cena de abertura de ‘Rooney’, o documentário sobre sua vida e carreira que é lançado nesta semana, parece uma homenagem ao Touro Indomável como Rooney, com o rosto escondido por um capuz preto de um casado de moletom, dá soco após soco em um saco de boxe penduradao na garagem de sua casa em Cheshire.

Fonte: O Globo

Você pode gostar...