Putin disse a Macron e Scholz que vai reconhecer a independência de regiões separatistas da Ucrânia - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Putin disse a Macron e Scholz que vai reconhecer a independência de regiões separatistas da Ucrânia


O presidente russo, Vladimir Putin — Foto: Alexei Druzhinin / SPUTNIK / via AFP Photo

O presidente russo, Vladimir Putin — Foto: Alexei Druzhinin / SPUTNIK / via AFP Photo

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta segunda-feira (21) que a Rússia irá reconhecer “em breve” a independência de duas regiões separatistas da Ucrânia.

A decisão foi divulgada pelo Kremlin à agência estatal RIA que disse que o mandatário russo já a havia informado para o presidente francês, Emmanuel Macron, e para o chanceler alemão, Olaf Scholz.

O chanceler alemão condenou as declarações de Putin sobre as áreas separatistas, segundo seu gabinete. O francês convocou uma reunião de emergência para tratar do tema.

O russo havia afirmado mais cedo que que não tem a intenção de anexar as áreas Donetsk e Luhansk nem pretende adicioná-las formalmente a seu próprio território.

Em uma transmissão pela TV, Putin se reuniu com seu conselho de segurança e disse que a ameaça à Rússia aumentará substancialmente caso a Ucrânia se junte à aliança militar Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Na semana passada, o Parlamento russo aprovou um pedido para que o presidente reconhecesse as autodeclaradas repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano.

Se aprovado, o movimento pode inflamar ainda mais o impasse sobre uma escalada militar russa perto da Ucrânia que tem alimentado temores do Ocidente de que Moscou possa invadir. A Rússia nega qualquer plano de invasão e acusa o Ocidente de histeria.

Ao mesmo tempo, também nesta segunda, militares russos disseram que tropas e guardas de fronteira impediram um grupo de violar a fronteira da Rússia a partir do território da Ucrânia, e que cinco pessoas foram mortas. As informações são de agências de notícias russas.

A Ucrânia negou a reportagem das agências de notícias russas, dizendo ser informação falsa, e acrescentou que nenhuma força ucraniana estava presente na região de Rostov, onde o incidente teria ocorrido.

Violações de cessar-fogo

Houve mais de 1.500 registros de violações de cessar-fogo em 24 horas no leste separatista pró-Rússia da Ucrânia, um recorde até agora neste ano, informou a Monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) no sábado (19).

Da tarde de quinta-feira à noite de sexta-feira, observadores da OSCE registraram 591 violações do cessar-fogo em Donetsk e 975 em Luhansk, os dois enclaves separatistas.

Os combates mais intensos ocorreram no noroeste da região de Luhansk, cerca de 20 quilômetros a sudeste de Severodonetsk, uma localidade leal ao governo de Kiev.

Na semana passada, separatistas de Donetsk, na Ucrânia, removeram civis para a Rússia.

Fonte: g1.com

Você pode gostar...