Dez anos depois, Felipe volta a São Januário, onde fez história: "Vivi mais no Vasco do que em casa" - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Dez anos depois, Felipe volta a São Januário, onde fez história: “Vivi mais no Vasco do que em casa”


Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

O técnico do Bangu se sentirá em casa ao enfrentar o Vasco às 20h30 desta quinta-feira, em São Januário, pela sétima rodada do Campeonato Carioca. Acostumado a brilhar no estádio, Felipe volta ao local dez anos depois de sua última partida com a camisa vascaína, um empate contra o Atlético-MG no dia 11 de novembro de 2012. Agora do lado oposto e à beira do gramado, o ídolo se emociona com o reencontro. Afinal, chegou ao clube com seis anos de idade e viveu grandes momentos em suas duas passagens.

– Vai ser um jogo especial, passa um filme na minha cabeça, até porque vivi muito mais no Vasco do que em casa. Há dez anos que não vou no Vasco, então vai ser um momento especial. Espero que a torcida me receba com muito carinho, fico lisonjeado de fazer parte da história do Vasco – afirmou Felipe ao ge.

Felipe celebra no Couto Pereira a Copa do Brasil de 2011, o último título pelo Vasco — Foto: Agência Estado

Felipe celebra no Couto Pereira a Copa do Brasil de 2011, o último título pelo Vasco — Foto: Agência Estado

Jogador mais vitorioso da história do Vasco, Felipe conseguiu conquistas de grande importância na Colina. O camisa 6 tem no currículo vascaíno três títulos expressivos de nível nacional (Brasileiros de 1997 e 2000 e Copa do Brasil de 2011) e dois de nível internacional (Libertadores de 1998 e Mercosul de 2000).

A taça da Libertadores está à frente por pouco como a mais especial das conquistas de Felipe pelo Vasco. O ex-atleta lembrou o confronto com o Real Madrid, em 1998, na final do Mundial de Clubes. Na ocasião, o time acabou derrotado por 2 a 1 em partida bastante acirrada.

Em 1998, melhores momentos de Real Madrid 2 x 1 Vasco, pela final do Mundial de Clubes

Em clima de final de Mundial, que aconteceu no último sábado entre Palmeiras e Chelsea, Felipe se deparou nos últimos dias com um vídeo dos melhores momentos da decisão com o clube espanhol. A derrota ainda é lamentada pelo ex-jogador, que considera o Vasco “o único time sul-americano que jogou mais que os europeus numa decisão de Mundial”.

– Acho que faltou um pouco de sorte para o Vasco. Fomos superiores ao Real Madrid, mas infelizmente não fomos campeões – lembrou o ídolo vascaíno.

Revelado nos anos 90, Felipe ficou afastado do clube onde foi criado nos últimos anos, mas se reconectou em 2021, quando o Vasco preparou uma homenagem para o aniversário de 44 anos do ídolo.

Felipe escolhe título mais especial que conquistou pelo Vasco

O movimento de reaproximação rendeu boatos de que o ex-jogador poderia voltar à Colina como treinador. Vontade não falta, mas Felipe entende que ainda não chegou o momento e prega muito respeito a Zé Ricardo. O agora colega, que serve como referência à beira do campo, já o orientou dentro das quatro linhas lá atrás. Ao ge, o ídolo recordou que o atual técnico do Vasco foi um dos seus primeiros comandantes na infância.

– Acho o Zé um excelente treinador, não tenho dúvidas de que fará um grande trabalho no Vasco, conhece muito bem o clube. Foi meu treinador na época de futsal, desejo toda sorte pra ele. Espero que ele possa fazer o Vasco voltar aos momentos de glórias que já teve no passado.

Felipe é o técnico do Bangu, adversário do Vasco nesta quinta — Foto: Jorge Rodrigues/AGIF

Felipe é o técnico do Bangu, adversário do Vasco nesta quinta — Foto: Jorge Rodrigues/AGIF

Apesar das emoções que a volta a São Januário pode provocar, Felipe tem outro objetivo nesta noite. O Bangu precisa voltar a vencer antes que seja tarde demais para brigar por uma vaga nas semifinais do Campeonato Carioca. Contra o Vasco, o técnico quer ir pra cima e jogar bonito.

– Não estou satisfeito com a colocação, acho que o Bangu tem condições de buscar algo melhor dentro da tabela, mas estou feliz pelo que a equipe vem apresentando. A oscilação é normal, é um grupo jovem, mas de muita ambição e, independentemente de quem a gente vai enfrentar, o Bangu tem um padrão de jogo e não vai abrir mão, procurando sempre jogar um futebol bonito e ofensivo. Respeitando o adversário, mas procurando propor o jogo a todo momento – concluiu.

O Bangu tem só uma vitória até aqui no campeonato, mas justamente sobre um dos grandes do Rio de Janeiro: derrotou o Fluminense por 1 a 0 na primeira rodada. Na parte de cima da tabela com apenas uma derrota, a missão do Vasco é vencer para se manter entre os quatro primeiros.

Fonte: Ge

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...