Ex fala de namoro com Ayrton Senna aos 15 anos: 'Aprendi a beijar com ele' - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Ex fala de namoro com Ayrton Senna aos 15 anos: ‘Aprendi a beijar com ele’



Antes da fama mundial e dos relacionamentos com Xuxa e Adriane Galisteu, Ayrton Senna viveu uma história de amor com a paulista Adriane Yamin, que relembrou os tempos de namoro com o piloto numa entrevista ao podcast À Deriva. Na época ele tinha 24 anos, e ela apenas 15.

“Não consigo explicar até hoje o que a gente teve. Como um rapaz de 24 anos se encanta por uma menina de 15? Eu era uma criança, e aprendi a beijar com ele. O primeiro beijo já funcionou muito bem. Era muito legal nosso relacionamento. Ele era muito brincalhão, e a gente se divertia muito junto. Ele era amoroso e uma pessoa que sempre passou confiança”, conta Adriane, que lançou em 2019 um livro contando essa história, batizado de “Minha garota”:

“Era assim que ele me chamava, por isso o título do livro. Até hoje procuro a entrevista que ele deu para a TV em Portugal depois de vencer pela primeira vez na Fórmula 1. Ele dedicou a vitória para mim, dizendo ‘à minha garota’. Já estávamos há cinco meses juntos “.

Adriane Yamin e Ayrton Senna começaram a namorar em 1984, conta ela, e logo depois aconteceu a grande virada na carreira do piloto, quando ele assinou com a Lotus. A partir daí, o convívio entre eles foi ficando mais raro por causa das viagens.

“No início do namoro, eu tinha visto o Senna apenas uma vez na televisão, mas depois veio a grande virada e o assédio foi aumentando. Quando começou o campeonato, ele passava dois meses fora e eu achava que ele não ia mais voltar para mim. Quando eu sabia que ele ia voltar, eu ficava com febre tamanha era minha ansiedade e expectativa. Pensava: ‘será que ele vai querer me ver?'”, lembra Adriane.

O namoro durou quatro anos, e, mesmo passado tanto tempo, Adriane Yamin guarda na memória (e nas gavetas) as lembrança dessa história de amor. As cartas que Senna enviava para ela, até hoje ela tem dificuldade de ler.

“A diferença de idade para mim não era um problema, mas para a minha família sim. A gente não podia andar de carro junto e tinha que ir a pé para o cinema no começo do namoro. Não podia ter nenhuma atitude de intimidade na frente dos meus pais, mas a gente dava as mãos e fazia carinho um no outro embaixo da mesa”, relembra.

Fonte: Extra Online

Você pode gostar...

Close