Pela 1ª vez, governo de MG fala em transmissão comunitária da variante mu do coronavírus - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Pela 1ª vez, governo de MG fala em transmissão comunitária da variante mu do coronavírus

Coletiva Secretária Estadual de Saúde de Minas Gerais, 14/09/21 — Foto: Sérgio Leite/ TV Globo

Coletiva Secretária Estadual de Saúde de Minas Gerais, 14/09/21 — Foto: Sérgio Leite/ TV Globo

O secretário estadual de Saúde, Fábio Baccheretti, falou pela primeira vez que “provavelmente” há transmissão comunitária pela variante mu em Minas Gerais.

A declaração foi durante entrevista coletiva, no início da tarde desta terça-feira (14).

“Estamos fazendo contato com as pessoas contaminadas e a expectativa é que provavelmente tenha casos de transmissão comunitária em Minas, pela variante mu. No entanto, a mu é menos importante que a delta”, disse o secretário.

O número de casos da variante mu do coronavírus subiu no estado, de cinco para sete. Os dois novos registros aconteceram em Braúnas, na Região do Rio Doce.

Outros dois municípios já detectaram a cepa: Virginópolis (3) e Guanhães (2), também no Rio Doce.

Minas Gerais já confirmou 394 casos da variante delta do coronavírus, segundo dados atualizados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) nesta segunda-feira (13). O número é 50,9% maior do que o registrado até o último sábado (11), quando havia 261 ocorrências.

A delta, considerada mais transmissível, já está presente em 104 dos 853 municípios mineiros, o que representa 12,1% do total. A cidade com mais casos confirmados é Juiz de Fora, na Zona da Mata, com 56 pacientes contaminados pela variante. Em seguida, vem Belo Horizonte, com 45.

Até sábado (11), Minas Gerais tinha confirmado seis mortes causadas pela delta, em Piraúba (1), Caratinga (2), Rio Novo (1), Claro dos Poções (1) e Uberaba (1). A SES-MG ainda não atualizou o número de óbitos.

Vacinação de adolescentes sem comorbidades

 

Durante a coletiva, o secretário repercutiu os números da vacinação no estado e disse que os municípios que têm Pfizer devem imunizar primeiramente os adolescentes com comorbidades e doses de reforço para os idosos. Após contemplar este público, as cidades poderão avançar na vacinação.

Ele também falou em “queda de expectativa” de entrega de Astrazeneca em Minas Gerais, mas confirmou chegada de mais imunizantes deste tipo, no estado, no fim de semana.

“Houve uma queda de expectativa de entrega de Astrazeneca em Minas, mas neste fim de semana o estado vai receber mais doses. Alguns municípios aplicaram segunda dose como se fosse a primeira, por isso vale destacar que não vale utilizar D2 para D1”, disse o secretário.

Fonte: G1.COM

Você pode gostar...

Close