Presidente acusa antecessor de mentir no Barça; dívida é de R$ 8 bi - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Presidente acusa antecessor de mentir no Barça; dívida é de R$ 8 bi


Depois de não conseguir viabilizar a renovação contratual de Messi, vendo o astro rumar para o PSG, o Barcelona teve seus problemas financeiros escancarados. E o presidente Joan Laporta, que assumiu o clube em março, resolveu convocar uma entrevista coletiva para detalhar a situação econômica do clube nesta segunda-feira, destacando que o Barcelona chegou a ter dívida total de € 1,3 bilhão (R$ 8 bilhões).

Laporta rebateu o ex-presidente Josep Maria Bartomeu, que divulgou uma carta negando ter deixado o clube em péssima situação financeira. Sem dar detalhes, ele acusou Bartomeu de mentir e apresentar dados manipulados.

– Eles apresentaram um orçamento com hipóteses difíceis de cumprir. Várias delas não foram cumpridas. E portanto o orçamento deu menos de € 320 milhões para a temporada 20/21. Provoca uma situação económica e patrimonial preocupante e situação financeira dramática. Em 21 de março de 2021, a dívida era de € 1,35 bilhão – relatou.

Joan Laporta convocou entrevista coletiva para detalhar situação econômica do Barcelona — Foto: Reuters

Joan Laporta convocou entrevista coletiva para detalhar situação econômica do Barcelona — Foto: Reuters

Laporta disse que, assim que assumiu o clube, pediu um empréstimo de € 80 milhões a um grande banco para poder arcar com a folha de pagamento do clube. E que sua gestão iniciou um processo para tentar baixar juros de outros empréstimos, além de interromper “pagamentos desproporcionais” a intermediários por transferências – citando que uma pessoa recebeu € 8 milhões para encontrar jogadores na América do Sul.

O mandatário destacou que a política salarial que vinha sendo adotada no Barcelona levou à situação atual, indicando que os vencimentos hoje ocupam 103% do faturamento do clube.

– Também encontramos um contexto de uma política esportiva errônea que causa danos à entidade. É uma pirâmide invertida, na qual os veteranos têm contratos longos e os jovens têm contratos curtos. E é difícil renegociar contratos. Essas reduções salariais que os gestores anteriores se vangloriaram, uma redução de 68 milhões, mas na realidade não é redução porque a encontramos na forma de bônus de rescisão de contrato – relatou.

Laporta também citou problemas estruturais encontrados no Camp Nou, citando que o estádio precisava de obras urgentes. E que um relatório de 2019 apontava que havia risco para os torcedores – o que impediria a reabertura do estádio em meio à pandemia da Covid-19.

– Fomos trabalhar para identificar os problemas e eles foram reparados a um custo de € 1,8 milhões e, graças ao fato de termos agido o mais rapidamente possível, neste domingo conseguimos abrir o estádio. Se tivesse sido possível abri-lo mais cedo, não poderíamos, porque não queríamos colocar os fãs em risco.

Apesar de todos os dados negativos apresentados, o presidente tentou encerrar a coletiva mandando uma mensagem de otimismo, indicando que sua diretoria acredita que pode melhorar a situação.

– Já sabíamos que a situação era preocupante, mas os meus companheiros e eu amamos o Barça e tínhamos um plano. Agora estou muito animado e vendo mais o time ontem, convencido de que as decisões certas foram tomadas. tomar. No caso de Messi, triste, mas necessário, porque a instituição está acima de tudo. Foi uma entrevista coletiva para contextualizar certas coisas. Não nos assusta porque o desafio é muito grande e poderemos reverter isso. É uma nova era que nasce que, se estivermos todos unidos, terá muito sucesso, estou convencido – avaliou.

Veja outros trechos da coletiva de Laporta:

 

Saída de Messi
– Tenho a sensação de foi feito o que era possível. Na apresentação dele, quando você pensa nele, deseja o melhor. Também o vejo feliz. Ele merece, assim como toda a sua família. Agora talvez sejamos rivais e tenhamos que nos adaptar. A motivação de nossa parte é máxima. Percebeu-se no time que o vestiário é forte, motivado e empenhado. O que posso dizer é que fizemos todo o possível dentro das possibilidades financeiras do clube.

Capital de giro negativo
– Temos um capital de giro negativo de € 553 milhões. A diferença entre o que devemos e o que devemos é de € 553 milhões negativos. Temos que pagar € 553 milhões a mais do que cobraremos este ano. É muito dinheiro e contextualiza onde estamos. A dívida bancária aumentou notavelmente e as obrigações de pagamento aumentaram para € 1,35 bilhão.

Impacto da pandemia
– O fechamento conduz a perdas de € 481 milhões. São € 1,13 bilhões de despesas e 655 milhões de receitas, que são auditadas e apresentadas. O impacto da pandemia é de € 91 milhões. Deixaram de ser cobrados € 217 milhões menos despesas de 126 nos dá os € 91 milhões de impacto cobiçado. Temos uma massa salarial que representa 103% dos juros. No total é de € 617 milhões. Representa 25 ou 30 % mais do que os nossos concorrentes. Estamos muito acima em termos de salários desportivos. O Barça tem um património líquido negativo de € 451 milhões. Isto é complicado porque nos obriga a fazer um excelente trabalho para que os credores e o auditor acreditem em nós .A prova é que conseguimos arrecadar € 550 milhões a muito bons juros de 1,1%.

Reações à carta de Bartomeu
– Eles estão dizendo que não são responsáveis ​​pelo exercício financeiro de 2019/20. Eles são responsáveis ​​até 17 de março de 2021. Renunciaram no dia 27 de outubro de 2020 e os números fechados são de responsabilidade de sua diretoria. Ninguém vai escapar de suas responsabilidades. Em 20/21 houve € 217 milhões perdidos pela pandemia, mas você tem que aplicar as despesas associadas, que são € 126 milhões, se você subtrair, são € 91 milhões pela pandemia. É uma forma de descartar dados e comentários que não são verdadeiros. São mentiras.

“Política desastrosa”
– O certo é que a política esportiva tem sido desastrosa. Desde que foi vendido o Neymar por € 222 milhões é gasto desproporcionalmente e na velocidade da luz. Isso desencadeia salários e amortizações. E aí estamos nós. A prova é que em termos de esporte não temos feito bem. Deviam ter mudado o modelo e acreditar na La Masia.

Fonte: GE

Você pode gostar...

Close