Pai é condenado por causar 'danos irreversíveis' a bebê após chacoalhá-lo - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Pai é condenado por causar ‘danos irreversíveis’ a bebê após chacoalhá-lo



Um pai de 28 anos, que não foi identificado, foi condenado a 30 meses de prisão depois de chacoalhar sua filha, de 6 meses, que se negou a tomar mamadeira. A menina teve sangramentos no cérebro e sequelas irreversíveis por conta da agressão. O caso aconteceu na cidade de Oldham, na Inglaterra, em 2018, e o julgamento foi concluído recentemente.

Pés de bebê (Foto: Getty Images)

Foto meramente ilustrativa  (Foto: Getty Images)

De acordo com o portal de notícias local Manchester Evening News, o pai já tinha sido afastado de outros filhos devido a acusações de violência doméstica. Por causa disso, o serviço social local impediu o homem de ter contato com o bebê quando sua atual namorada, de 25 anos, deu à luz. O casal, porém, resolveu ignorar a ordem e passou a maioria dos fins de semana juntos com o bebê. “O relacionamento era uma preocupação séria, pois representava um risco para a criança”, disse o promotor o caso, Peter Cadwallader.

Em um dos finais de semana que passou junto com a namorada e a filha, o homem se enfureceu porque o bebê não quis tomar o leite da mamadeira e o sacudiu violentamente. A mãe então ligou para a emergência. “Quando os paramédicos chegaram, a criança foi encontrada sem resposta. Não havia choro, mas ela estava respirando”, explicou Cadwallader.

O bebê foi levado ao hospital e os médicos encontraram hematomas em seu peito. Além disso, a menina sofreu convulsões, provocadas pelos chacoalhões. Os ferimentos causaram sequelas irreversíveis, como paralisia cerebral, atraso de desenvolvimento e dificuldades de comunicação e linguagem, de acordo com a imprensa local.

A mãe da criança teria ainda mentido para tentar acobertar o homem, dizendo aos funcionários do hospital que ela estava alimentando a filha quando o bebê de repente ficou “mole”. A mulher alegou ainda que teria ligado para a emergência antes da chegada do namorado.

Durante o julgamento, o juiz do caso, Maurice Greene, entendeu que o homem era responsável pelos danos à saúde da filha. “Havia preocupações sobre a segurança da criança sob seus cuidados porque seus outros filhos já haviam sido internados como resultado de violência doméstica. A criança estava sendo alimentada por você e, na sua admissão, você ficou frustrado por ela não querer a mamadeira. Você a sacudiu e usou uma força significativa. É improvável que ela se recupere totalmente”, disse ele ao pai.

O advogado do acusado, Richard Varden, alegou que o homem sofreu uma “perda momentânea de temperamento, que teve consequências chocantes”. Apesar dos argumentos da defesa, o pai foi condenado a 30 meses de prisão. Ainda de acordo com o Manchester Evening News, tanto o pai quanto a mãe admitiram já ter causado danos físicos à criança durante a audiência.

Fonte: Revista Crescer

Você pode gostar...

Close