Em turno para esquecer, Vasco sofre com atuações ruins, poucos gols marcados e problemas físicos - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Em turno para esquecer, Vasco sofre com atuações ruins, poucos gols marcados e problemas físicos


Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

O segundo turno da Série B, “onde a onça bebe água”, como costuma dizer Lisca, começa para o Vasco no sábado, contra o Operário, às 19h (de Brasília), no Paraná. Mas, antes de iniciar a desesperada reta final da luta pelo acesso, é interessante revisitar os muitos erros cometidos nos últimos 19 jogos.

Nível de atuações, trabalho dos técnicos, montagem de elenco e poucas explicações estão no pacote. Nesta sexta, às 11h, a Diretoria Administrativa concederá entrevista coletiva para tratar do momento atual do clube, mas a verdade é que o comando vascaíno tem adotado o silêncio e pouco se manifesta após tropeços marcantes, por exemplo. A estratégia de trabalhar sem alarde passou a ser criticada nas redes sociais por torcedores em um contexto de má campanha na segunda divisão: o time ocupa o décimo lugar, três pontos atrás do G-4.

Pássaro e Salgado conversam no CT do Vasco — Foto: Divulgação/Vasco

Pássaro e Salgado conversam no CT do Vasco — Foto: Divulgação/Vasco

O presidente Jorge Salgado, o segundo vice Roberto Duque Estrada, o CEO Luiz Mello e o diretor executivo de futebol Alexandre Pássaro estarão à disposição da imprensa. Entre os temas, a eventual necessidade de reforçar o elenco, algo presente nas manifestações da torcida, certamente será abordada. Há pouco tempo. O regulamento da Série B permite novas inscrições até 30 de setembro. A janela para atletas vindos do exterior fecha em 30 de agosto.

Vanderlei mostra incredulidade em gol contra de Ernando no jogo com o Brasil de Pelotas — Foto: VOLMER PEREZ/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Vanderlei mostra incredulidade em gol contra de Ernando no jogo com o Brasil de Pelotas — Foto: VOLMER PEREZ/AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

O ge listou alguns problemas. Confira abaixo:

 

Ataque que pouco machuca

Dono de um dos melhores elencos da Série B, o Vasco tem números paupérrimos no setor ofensivo. Marcou apenas 23 gols em 19 jogos, o que corresponde a uma média de 1,21 por partida. É o sexto mais eficiente dentre os 20 times do torneio.

Único goleador do elenco, Cano tem sofrido com um setor de criação que pouco cria. Diante disso e também de uma queda técnica na questão individual, a média de gols do argentino no Campeonato Brasileiro caiu.

Na Série A 2020, marcou 14 gols em 34 partidas (0,41 por jogo). Já na Série B 2021, competição na qual o nível técnico é obviamente inferior ao da Primeira Divisão, anotou seis em 18 confrontos (0,33).

Cano perdeu poder de fogo no Vasco de 2021 — Foto: André Durão

Cano perdeu poder de fogo no Vasco de 2021 — Foto: André Durão

Atuações ruins até nas vitórias

Nas oito vitórias conquistadas, menos da metade do número de jogos disputados, o Vasco teve como resumo delas uma velha máxima conhecida no mundo da bola: venceu, mas não convenceu. Foi assim com Marcelo Cabo, tem sido assim com Lisca. Nos triunfos sobre Brasil de Pelotas, Confiança, Brusque e Vila Nova, o time teve atuações sofríveis.

Nem mesmo no duelo com o CRB, em que conseguiu um elástico 3 a 0, ou diante do Guarani, que goleou por 4 a 1, o time conseguiu ser sólido durante os 90 minutos.

Diante dos alagoanos, só resolveu a parada na reta final do jogo depois de levar duas bolas na trave. Frente ao Bugre, em que, justiça seja feita, fez sua melhor atuação, o Vasco sofreu muito no primeiro tempo do jogo.

Já em relação às derrotas, sem dúvidas as mais feias foram contra Operário-PR, Avaí, Botafogo, Remo e Londrina. Foi dominado nos cinco jogos, e curiosamente três destes foram disputados em São Januário.

A Voz da Torcida – João: “Vasco terminou o 1º turno da Série B envergonhando seu torcedor”

Problemas físicos de reforços e do capitão

Dois dos nove reforços do Vasco para 2021 jogaram menos do que 50% das partidas da equipe na Série B. São eles Michel e Romulo. O último, porém, também testou positivo para a Covid-19 no período.

O caso de Michel é o que chama mais atenção. Por conta de um desconforto muscular, não entra em campo desde 3 de julho, quando o Vasco venceu o Confiança por 1 a 0. Jogou apenas seis jogos na Série B e não ficou disponível em outros 12.

Romulo, por sua vez, deu resposta positiva recente e participou duas últimos quatro jogos. O início dele no retorno à Colina, porém, teve interrupções de sequências por conta de problemas físicos. Soma oito partidas na Série B.

Morato jogou mais do que a dupla (12 vezes), mas também perdeu jogos por lesão. Um problema na musculatura posterior da coxa direita o tirou dos duelos com Confiança, Sampaio Corrêa e Coritiba. Depois de virar titular com Lisca, perdeu as últimas três rodadas por conta da Covid-19. Outro atleta contratado, Marquinhos Gabriel perdeu cinco partidas por conta de um problema na coxa esquerda.

Leandro Castan, melhor zagueiro e principal líder do Vasco, também já perdeu seis jogos por conta de duas lesões na coxa direita. A primeira sofreu na decisão da Taça Rio, contra o Botafogo. A mais recente se deu no primeiro tempo da vitória sobre o Vila Nova.

Michel só jogou seis partidas na Série B 2021 com a camisa do Vasco — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Michel só jogou seis partidas na Série B 2021 com a camisa do Vasco — Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Gols na bola aérea

O interminável problema na bola aérea também deu as caras na Série B. Dos 21 gols sofridos, oito foram pelo alto. Ou seja, mais de um terço do total.

Geralmente adotando a marcação por zona em detrimento da individual, o Vasco foi vazado no jogo aéreo por Avaí, Cruzeiro, Brusque, Coxa, Náutico, Guarani e Remo (duas vezes).

Os gols de Remo 2 x 1 Vasco, pela 18ª rodada do Brasileirão Série B

Primeiros três reforços caem após o Carioca; garotos oscilam

Anunciados na mesma semana, Marquinhos Gabriel, Zeca e Ernando não conseguiram manter o nível apresentado no Carioca.

Marquinhos é o vice-artilheiro do time na temporada, com sete gols (quatro na Série B), mas a falta de intensidade o torna alvo da torcida. Zeca, depois de bom Carioca, vem em queda vertiginosa e acumula atuações ruins. Ernando não comprometeu muito durante o Carioca, mas faz uma Série B bem abaixo da média.

Entre os garotos, Galarza e MT, que surgiram bem no Carioca, também caíram bastante. Andrey e Juninho seguem alternando boas e más atuações, o que configura um início de carreira bem irregular da dupla. Mais velho, o camisa 6 já vem nessa gangorra desde 2018.

Fonte: GE

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...

Close