Pássaro condiciona renovação de Cano a aumento de receita no Vasco - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Pássaro condiciona renovação de Cano a aumento de receita no Vasco


Curta nossa página e saiba de tudo sobre o Vasco!

Alexandre Pássaro concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira logo após a apresentação de Rômulo como sétimo reforço do Vasco. Além de avaliar o trabalho e a eliminação no Carioca, o diretor executivo disse que a renovação de contrato de Cano está condicionada a aumento de receitas e brincou com a pressão feita pelo empresário de Galarza para a compra do jogador.

Cano, artilheiro na temporada passada e um dos principais nomes da equipe, tem contrato até o final de 2021. Questionado se o Vasco faria uma negociação semelhante à de Léo Matos, que reduziu o salário e aumento o vínculo em uma temporada, o dirigente respondeu:

– Lógico que vamos tratar do assunto do Cano no momento certo. Eu estive com o empresário dele ainda em março. De todos esse jogadores, foi o primeiro que conversamos sobre a sequência e manutenção. A gente não fez nenhum carnaval dizendo que ele ia ficar. Ele tem contrato. No momento certo, falaremos. A gente sabe que precisamos de um direcionamento. A gente precisa esperar, especialmente no caso dos que ganham mais, como é o Cano, um direcionamento nosso na Série B. Tudo depende do nosso ano que vem. É claro que a gente não cogita a hipótese de não subir. Mas vamos ter de trabalhar muito, ter aproveitamento bom desde o começo. Só de campeão brasileiro tem cinco e, em conta rápida, acho que outros cinco podem lutar para subir. Toda a nossa receita e o nosso planejamento para o ano que vem, dependem deste ano. O caso dele e de outros… a gente não pode comprometer a parte financeira renovando o contrato do cano sem ter a garantia de receita. A principal vem da Série A. A gente vai costurar isso, estamos na mesma página com o empresário. O Cano sabe que estamos nesse momento.

Alexandre Pássaro comanda o futebol do Vasco — Foto: Thiago Ribeiro / AGIF

Alexandre Pássaro comanda o futebol do Vasco — Foto: Thiago Ribeiro / AGIF

Pássaro também comentou a situação de Galarza. Como informado pelo ge, parte dos direitos do paraguaio está fixada em US$ 700 mil. O contrato, conforme disse o dirigente, prevê o aumento do valor caso o atleta atinja um determinado número de jogos. O teto é US$ 1 milhão. Pássaro até brincou com os comentários feitos empresário Régis Marques sobre a compra do volante:

– O número que a gente sempre trabalha é US$ 1 milhão. É o valor total do contrato. Se a gente conseguir alguma negociação mais vantajosa, é lucro. O Vasco, todos sabem, não tem uma receita nova. Então, qualquer compra feita agora ou na frente tem um custo. Quando se compra, se dispara gatilhos do contrato. Exemplo hipotético: se o salário é 5 e passa a 80, tem esse custo de 75 mil pelo tempo antecipado. Ainda tem comissão… Estamos atentos para fazer o melhor para o Vasco. O empresário dele Regis, meu amigo, quer criar esse assunto e essa apreensão na torcida. Mas eu falei para ele que a cada live que ele participar, a comissão será reduzida.

Mais respostas de Alexandre Pássaro

 

Busca por lateral-esquerdo

Temos um jogador que chegou foi o Zeca. Antes de a gente voltar ao mercado para avaliar nomes, e temos alguns mapeados, queremos ver o desenvolvimento do Riquelme. É um menino novo, tem a idade do Talles. É magrinho, mas tem qualidade impressionante. Antes de ocupar esse espaço e travar o desenvolvimento de uma joia da nossa base, a gente quer ver o desenvolvimento dele. Se entendermos que se faz necessária a contratação, faremos. No momento, o jogador que analisamos é o da casa. Para o começo da Série B, a gente toma uma decisão mais definitiva.

Planejamento do começo do Carioca

Seria injusto colocar aqui a desclassificação na conta dos jogadores que atuaram naqueles jogos. Mas, sim, eles fizeram diferença. Se a gente tivesse empatado, a situação seria diferente. Mas valeu a pena. A gente tinha riscos a correr, então, fizemos em 10 dias a saída de uma temporada para outra. A eliminação nos entristece, mas não pesa. O sentimento é de um Vasco eliminado, como vocês dizem, não tem pressão sobre o treinador ou direção. O grande foco aqui é a Série B, todo mundo sabe. Depois, a Copa do Brasil. Agora, de nada adianta ganhar a Copa do Brasil e não subir. A desclassificação não significa que está tudo errado. Ajustamos muitas coisas.

Interesse do Santos em Andrey

Li sobre o interesse do Santos no Andrey, mas também leio muita coisa que nunca se confirmou. Ele estava em todas as listas de torcida e de imprensa para deixar o Vasco. A imprensa replicando esse sentimento da torcida. Cabo foi criterioso e manteve ele, que vem fazendo ótimos jogos. É uma joia, um ativo nosso. Temos interesse em renovar, então, no momento certo faremos. Não se pode jogar no lixo por 10 jogos assim como não se pode renovar por 10 jogos. Temos de ter equilíbrio e dar condições dele continuar evoluindo. Qualquer clube que tenha interesse, terá de atender aos interesses do Vasco.

Estágio do Vasco

Ainda estamos em estágio inicial, temos 42 dias de trabalho. Por mais intenso e por melhor que esteja sendo feito, especialmente o trabalho do Cabo, é um estágio inicial. O mérito é ter utilizado o pouco tempo da melhor maneira possível. Ainda temos muitos degraus pela frente, mas muitos mesmo. Após a eliminação, disse aos jogadores que temos de continuar crescendo. A vitória sobre o Flamengo fez a gente subir o nosso sarrafo. Qualquer coisa abaixo, será frustrante.

Planejamento na Taça Rio

Vamos sentar amanhã e teremos uma reunião sobre esses próximos dias. Como vamos trabalhar coletivamente. Depois, vamos individualizar. Exemplo: o Marquinhos Gabriel estava muito tempo sem jogar, jogou quase que todos os jogos. Ele foi quem mais correu contra o Flamengo, então, teve uma fadiga acumulada na coxa. O exame saiu hoje. Provavelmente, será poupado dos treinos neste começo. Os jogos da Taça Rio nós vamos utilizar como preparação para o que vale, para o que interessa. Os jogos serão encaixados na nossa programação, não ao contrário.

Bruno Cesar

Vamos pensar nisso tão logo acabe o contrato dele com o time português. Pode ser que ele continue lá. Da parte financeira, ele não interessa. Sem haver renegociação, nem olharemos a parte técnica.

Jogadores afastados

Cada um tem uma situação diferente. Treinar em separado é diferente de estar encostado. Eles traçam um caminho diferente. Passivo foi quando se assina o contrato. Dentro das expectativas dos jogadores e do interesse do Vasco, estamos buscando a melhor solução.

Michel

Tem uma centena de nomes especulados, uma quantidade absurda. Eu chamo isso de não notícia. Para cada oferecido que é noticiado, tem outros 300 oferecidos que não foram noticiados. No mercado, temos de entender o que os outros clubes estão pensando. Fazer esse filtro vira notícia. Michel trabalhou com o Cabo, mas hoje é uma posição que não olhamos mais com a chegada do Rômulo.

Meia

A gente entende que temos aqui dentro soluções para a eventual falta do Marquinhos Gabriel. O Pec consegue, o Morato consegue, o Juninho consegue. E tem ainda o MT, não podemos esquecer dele. Para trazer outro, vamos colocar teto no desenvolvimento do MT. Queremos ver isso e provavelmente comprá-lo.

Fonte: GE

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...

Close