Holanda tem saques e confrontos no 1° toque de recolher após a 2ª Guerra




Manifestantes e policiais entram em confronto durante protesto na praça Septemberplein contra restrições impostas devido à pandemia de coronavírus em Eindhoven, na Holanda, neste domingo (24) — Foto: Rob Engelaar/ANP via AFP

Várias manifestações contra o toque de recolher em vigor desde sábado (23) na Holanda resultaram em confrontos com a polícia – informaram jornais e autoridades locais.

A polícia usou jatos d’água e cães para dispersar a multidão em Museumplein, uma praça no centro de Amsterdã, onde centenas de manifestantes estavam reunidos, de acordo com a televisão NOS.

No sul do país, em Eindhoven, onde várias centenas de pessoas se concentraram, as forças policiais usaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, relatou a televisão regional Omroep Brabant.

“Pelo menos 30 pessoas foram presas”, declarou a polícia local à AFP neste domingo (24), acrescentando que ainda não há um balanço de possíveis feridos. Segundo a imprensa local, vários veículos foram incendiados, e lojas na Estação Central de Eindhoven foram saqueadas.

Carro foi incendiado diante de uma estação ferroviária durante protesto de centenas de pessoas contra medidas restritivas impostas devido à pandemia em Eindhoven, na Holanda — Foto: Rob Engelaar/ANP via AFP

Carro foi incendiado diante de uma estação ferroviária durante protesto de centenas de pessoas contra medidas restritivas impostas devido à pandemia em Eindhoven, na Holanda — Foto: Rob Engelaar/ANP via AFP


Um centro de detecção de Covid-19 foi incendiado na localidade de Urk, no norte do país, um fato “que ultrapassa todos os limites”, segundo o ministro da Saúde, Hugo de Jonge.

A Holanda iniciou no sábado (23) seu primeiro toque de recolher desde a Segunda Guerra Mundial, de 21h a 4h30, como parte da luta contra a pandemia da Covid-19.

Loja foi atacada durante tumulto perto da estação de trem em Eindhoven, na Holanda — Foto: Rob Engelaar/ANP via AFP

Loja foi atacada durante tumulto perto da estação de trem em Eindhoven, na Holanda — Foto: Rob Engelaar/ANP via AFP

Fonte: France Presse

Você pode gostar...