Antônio Mello fala sobre seu método de trabalho e faz juras de amor ao Vasco


Acesse nosso grupo do Vasco e saiba de tudo sobre o gigante da colina!

De volta ao Vasco para coordenar a preparação física do departamento de futebol, Antônio Mello é figura carimbada na comissão de Vanderlei Luxemburgo. O experiente profissional concedeu entrevista à VascoTV e ressaltou a felicidade em estar de volta, elogiou as novas estruturas do CT do Almirante e revelou a ambição de todos pela vitória.

– Essa velocidade da vida é tão grande, que parece que eu tirei umas férias. Quando voltei encontrei uma estrutura física muito bonita, muito organizada, com o Vasco crescendo nesse aspecto. Encontrei os jogadores e os funcionários super motivados, nos abraçaram com o maior carinho, uma felicidade muito grande com a nossa chegada, isso motivou tanto a gente, quanto eles. Então, esse entrosamento ele tem que ser usado evidentemente para a elaboração de treinamentos, jogos, parte tática, física e técnica. Enfim, tirar isso como um proveito muito grande para as nossas conquistas futuras – disse Antônio Mello.

Mello já comanda a equipe no CT do Almirante (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)


Quer saber as últimas notícias do Vasco, acesse a Central do Vasco

Fernando Miguel é o 7º goleiro mais decisivo do Brasileiro, aponta ranking

Sonho do Vasco, Alex Teixeira está livre no mercado e é disputado por times da Arábia Saudita

Atacante do Sub-20 do Vasco foi sondado por Porto, Ajax e Standard Liége

Como cada comissão técnica tem sua ideologia, não seria diferente com a comissão vitoriosa de Vanderlei Luxemburgo. Antônio Mello revelou que toda vez antes de começar uma seção de treinamento, ele gosta de propor uma brincadeira, para unir cada vez mais o grupo. O coordenador físico disse ainda que isso não atrapalha em nada, apenas acrescenta no entrosamento e que os treinos são levados muito a sério por todos.

– É uma combinação que a gente sempre faz, eu já usei muito. Que são as brincadeiras, para abrir uma seção de treinamento, isso cria uma atmosfera favorável, uma alegria e os jogadores se soltam e vão produzindo. De repente, quando o ambiente não está bom, até a brincadeira incomoda, mas não é o nosso caso. Então nós estamos usando isso com frequência, Daniel que está como nosso preparador físico está nessa me ajudando, eu estou na coordenação geral da concentração. A gente está procurando entender as necessidades dos atletas, acompanhando cientificamente como é que eles se encontravam e como se encontram, num desenrolar de um jogo, de uma sustentação de 90 minutos em alta intensidade, com uma resistência física para velocidade e força bem acompanhada. Eu acho que tudo isso está num contexto de treinamento, a brincadeira ela abre uma seção de treinamento e nunca vai faltar – explicou o profissional.

Outra peculiaridade dos treinamentos propostos, é a famosa caixa de areia. Mello disse que essa é uma companheira de longa data, pois ajuda a fortificar algumas qualidades dos atletas. De forma descontraída, ele revelou que a primeira coisa que os jogadores vieram perguntar em sua apresentação foi sobre a caixa de areia.

– O treinamento e o trabalho que a gente executa no futebol, com uma objetividade maior, que é a conquista final, ele tem seus pó menores. A individualidade do treino, a qualificação do treinamento, a busca da melhora da qualidade física e individual, isso é uma preocupação. A areia é um elemento, é um meio que eu uso para me ajudar no condicionamento físico de força. Ela é muito contestada por alguns profissionais, tem muito cientista, fisiologista que contestam, evidentemente que eu entendo. Porque não tiveram a praticidade do treinamento, não viram de perto, não sabem a intensidade e a quantidade de trabalhos que são realizados. Eu faço na semana, uma ou duas vezes de 15 minutos e qualificando para a especificidade do desporto. Então eu vou buscar lá a aceleração, a impulsão, a mudança de direção, enfim tudo aquilo que o atleta faz num jogo, componente no meu circuito na areia, então ela é contestada, mas funciona. Os jogadores realmente na primeira vez, eu senti um pouco de defesa, de curiosidade e pouquinho de receio daquele tipo de treinamento. Depois que eles viram os resultados, adoraram e a primeira coisa que eles me perguntaram: “E ai, professor. Vai construir uma caixinha de areia aqui para nós?” Eu respondi a eles que era apenas questão de tempo – ressaltou o multicampeão.

Antônio Mello conversando com Cano. Léo Gil e Tiago Reis Foto: (Rafael Ribeiro/Vasco)

Antes de encerrar o bate-papo com a VascoTV, Antônio Mello resolveu abrir seu coração e expor todo seu amor pelo Vasco. Ele relembrou a primeira vez que foi ao Maracanã ver o Gigante da Colina, com apenas 10 anos de idade. O coordenador explicou que o profissionalismo ultrapassa qualquer fanatismo, mas revelou que sua maior paixão é a Cruz de Malta.

– Eu não posso esconder né? O Vasco da Gama está em mim desde os 10 anos, quando fui levado ao Maracanã pelo meu avô português. Ali eu vi o super super Campeonato do Vasco, em cima de Flamengo e Botafogo. Foi ai que me apaixonei e não larguei mais, evidente que a gente é profissional, trabalha em outros clubes, tem um profissionalismo a frente. Mas a minha paixão está aqui, a Cruz de Malta – finalizou o Antônio Mello.

Fonte: Site Oficial do Vasco
Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...