É HOJE: Tribunal decide se pleito presencial de 7/11, em que Leven Siano foi o mais votado, teve validade - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

É HOJE: Tribunal decide se pleito presencial de 7/11, em que Leven Siano foi o mais votado, teve validade


Acesse nosso grupo do Vasco e saiba de tudo sobre o gigante da colina!

A eleição do Vasco terá um capítulo importante nesta quinta-feira. Em julgamento no TJ-RJ, a partir das 13h30, a Justiça dará um novo parecer sobre o processo eleitoral do clube. Jorge Salgado (Mais Vasco) e Leven Siano (Somamos) disputam a presidência para o triênio 2021-2023.

A sessão da Primeira Câmara Cível do TJ/RJ vai julgar se a eleição presencial do Vasco, que ocorreu em 7 de novembro, teve validade. Na ocasião, o pleito foi interrompido por decisão judicial e posteriormente retomado sem três das cinco chapas. O candidato Leven Siano foi o mais votado na contagem. Na votação online, no dia 14, que contou com duas chapas, Jorge Salgado foi o mais votado.

Nesta quinta, o desembargador Camilo Ribeiro Rulière, relator do caso, apresentará seu voto, que será apreciado por um colegiado formado por outros dois desembargadores: Custodio de Barros Tostes e Fabio Dutra. Qualquer decisão dificilmente será modificada ainda em 2020 – isto porque o recesso do judiciário começa no dia 20 de dezembro. A posse do novo presidente está prevista para 20 de janeiro.

O julgamento será de forma virtual, e só os advogados das chapas de Jorge Salgado e Leven Siano poderão acompanhá-lo. Não há direito a contestação, embora as partes – além de Salgado e Leven, o presidente da Assembleia Geral, Faués Jassus, o Mussa, o presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro, e o presidente Alexandre Campello – tenham direito a acompanhar o julgamento. Os desembargadores registrarão seus votos de maneira digital, durante todo o dia.

Jorge Salgado e Leven Siano disputam a presidência do Vasco — Foto: ge

Jorge Salgado e Leven Siano disputam a presidência do Vasco — Foto: ge

Seja qual for a decisão, ainda caberá recurso em outras instâncias. Mesmo que a “bola” no judiciário só volte a rolar em 2021. Em uma rede social, Leven Siano convidou Jorge Salgado a aceitar a decisão que será tomada pelo TJ-RJ nesta quinta-feira, 17 de dezembro. O candidato da Mais Vasco, no entanto, não concordou, pediu para o adversário retirar todas as ações judiciais e sugeriu a realização de uma nova eleição. Leven não topou.

O pleito realizado no sábado, 7 de novembro, de forma presencial, foi viabilizado na véspera por decisão do próprio desembargador Camilo Rulière. A eleição foi suspensa antes do fim por liminar do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A votação, no entanto, continuou, sem as chapas de Jorge Salgado, Julio Brant e Alexandre Campello. Na contagem feita na madrugada do dia 8, Leven Siano foi o mais votado.

Com a votação do dia 7 invalidada, uma nova eleição, dessa vez virtual, ocorreu uma semana depois, em 14 de novembro, sem a participação de Leven e outros dois candidatos (Alexandre Campello e Sérgio Frias). Jorge Salgado (Mais Vasco) foi o mais votado. Minutos depois da apuração dos votos, no entanto, o STJ determinou que o caso retornasse ao TJ-RJ.

Desde então, não se sabe quem sucederá Alexandre Campello. Leven e Salgado entendem terem sido eleitos. Campello chegou a fazer reunião de transição com cada um e suas equipes, numa situação inusitada e sem precedentes na política vascaína.

Futuro de Benítez em jogo

Apesar da chance de a eleição seguir judicializada após a decisão desta quinta, os candidatos têm uma decisão imediata importante a tomar. Alexandre Campello passou a decisão para frente e afirma que o próximo presidente do Vasco decidirá sobre a compra de Benítez. O Independiente, no entanto, diz que aguardará somente até esta quinta-feira.


Quer saber as últimas notícias do Vasco, acesse a Central do Vasco

Câmara aprova suspensão de dívidas de clubes de futebol na pandemia

Sem três titulares contra o Santos, Sá Pinto segue sem conseguir repetir escalação

Benítez também pediu ao Independiente prorrogação do prazo de compra

Benítez no treino do Vasco, nesta quarta — Foto: Rafael Ribeiro / ge

Benítez no treino do Vasco, nesta quarta — Foto: Rafael Ribeiro / ge

Procurados pelo ge, Salgado e Leven, por meio de suas assessorias, passaram suas posições sobre a situação do argentino.

  • A assessoria de Salgado ressaltou que o candidato ainda não teve acesso às contas do futebol do Vasco e, portanto, não tem como tomar uma decisão a respeito. Além disso, o futebol está sob responsabilidade de Campello até a posse do próximo presidente. Em entrevista ao ge, antes das eleições, Salgado elogiou Benítez.
  • A assessoria de Leven citou o encontro do candidato com Adrián Castellanos, procurador de Benítez, há algumas semanas, e disse que ele fará o possível para manter o jogador em São Januário. No entanto, ressaltou que, no momento, as decisões no futebol do Vasco cabem exclusivamente a Alexandre Campello, até que ele decida diferente.

Últimas manifestações dos candidatos nas redes

As equipes de advogados dos dois candidatos tiveram agenda para despachar com o relator Camilo Rulière. Apresentaram seus argumentos e desqualificaram a do adversário político. Saíram confiantes, cada um, de obter decisões favoráveis.

Em sua última manifestação nas redes sociais de cunho político antes do julgamento desta quinta-feira, Luiz Roberto Leven Siano fez uma postagem no Instagram em tom bem-humorado com referências ao número 7, já que venceu o pleito do dia 7 de novembro.

No mesmo dia, também num clima mais leve, Jorge Salgado respondeu:

Nesta quarta-feira, Salgado voltou ao Twitter e afirmou que, além do julgamento de quinta-feira, há outra ação, esta contrário ao pleito vencido por Leven Siano. O processo foi movido pelo conselheiro Carlos Fonseca no início do mês passado, antes mesmo da realização das duas eleições. Num primeiro momento, a ação questionava a legalidade da marcação da eleição presencial para o dia 7, que fora convocada por Alexandre Campello em 29 de outubro.

Após os dois pleitos terem sido realizados, Carlos Fonseca fez um aditamento à ação, em 24 de novembro. Neste, pediu a suspensão dos efeitos legais da eleição realizada no dia 7 e dos eventos posteriores ao que encaram como um descumprimento da tutela.

Receba nossas notícias do Vasco pelo canal no telegram, acesse o link https://t.me/VascodaGamaoficial


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...

Close