Câmara aprova projeto que dobra pena de corrupção na pandemia - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Câmara aprova projeto que dobra pena de corrupção na pandemia



Ordem do dia para votação de propostas. Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia

© Najara Araujo/Câmara dos Deputado

A Câmara dos Deputados aprovou hoje (1º), o projeto de Lei (PL 1485/20) que aumenta as penas para vários tipos de crimes contra a administração pública praticados durante o estado de calamidade pública em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Entre os crimes, estão os ligados a desvios de recursos públicos, como os crimes de corrupção, licitatórios e peculato. O texto foi aprovado por 421 votos a favor, 64 contra e uma abstenção e segue agora par ao Senado.

De acordo com o projeto, a pena de reclusão de 1 a 3 anos por associação criminosa será aplicada em dobro se o objetivo for desviar recursos destinados ao enfrentamento de estado de calamidade pública. O projeto dobra ainda a pena para os crimes de estelionato e falsidade ideológica.

Curta a página do Valeseuclick.com e tenha acesso a todas as notícias

Cruzeiro tem pior início de Série B entre os grandes na era dos ‘pontos corridos’

Boca Juniors tem 14 jogadores infectados com COVID -19

US Open começa com seis brasileiros na disputa
Também serão dobradas as penas para os crimes contra a administração pública previstos no Código Penal, praticados com esse objetivo, como emprego irregular de verbas públicas (detenção de 1 a 3 meses) e corrupção passiva (exigir ou receber propina), cuja pena é de reclusão de 2 a 12 anos.

Quanto ao crime de corrupção ativa, que ocorre quando alguém oferece propina a funcionário público, a pena de reclusão de 2 a 12 anos poderá dobrar se o ato for cometido com o objetivo de desviar recursos destinados inicialmente ao combate à pandemia.

O projeto também altera as punições previstas na Lei de Licitações, que serão aplicadas em dobro, nos casos relacionadas ao processo licitatório, se o crime envolver a compra ou contratação de insumos, bens ou serviços destinados ao enfrentamento de estado de calamidade pública. Essas penas de detenção variam de seis meses a seis anos.

Fonte: Ag~encia Brasil
Receba as notícias pelo Telegram – https://t.me/noticiasgeral

Você pode gostar...