Até Ramon Menezes quis jogar: como Luxemburgo pilhou o Vasco para o clássico - ValeSeuClick.com - Notícias do mundo inteiro, em tempo real

Até Ramon Menezes quis jogar: como Luxemburgo pilhou o Vasco para o clássico


Oswaldo Henríquez estava em seu quarto no hotel de concentração para o Vasco, na tarde que antecedeu o clássico contra o Flamengo, e resolveu ligar a televisão. Nos programas esportivos, ficou incomodado com as análises que apontavam uma vitória fácil do Rubro-Negro na partida de logo mais.

Enquanto isso, Ricardo fazia tratamento praticamente 24 horas para jogar. Desde que levou uma pancada na coxa esquerda contra o CSA, não parou de se esforçar para ter condições de jogo. Na véspera da partida, chegou a se tratar até 2h da madrugada.

Diante deste cenário, não é difícil imaginar o quão motivados estavam os jogadores do Vasco para o clássico.

E, então, entrou em cena Vanderlei Luxemburgo.

Luxemburgo Vasco Flamengo — Foto: André DurãoLuxemburgo Vasco Flamengo — Foto: André Durão

Luxemburgo Vasco Flamengo — Foto: André Durão

Em mais uma preleção emotiva, o técnico pilhou, de uma maneira positiva, todo mundo. Até mesmo o auxiliar Ramon Menezes, ex-jogador de destaque no próprio Vasco, que brincou ao dizer que, com aquelas palavras, ficou com vontade de entrar em campo.

Animado na coletiva após o jogo, Luxemburgo não quis se estender muito sobre a conversa. Mas recorreu a uma de suas expressões mais famosas para resumir o papo:

– Apontada para riba, amigo! Você já viu alguém com ela sonsa pegar alguém?

Os jogadores foram unânimes em apontar o técnico como grande responsável pela boa atuação do Vasco. Não só na questão tática, mas também motivacional.

– O professor pilha muito a gente antes do jogo. Ele fez a estratégia perfeita. Fico muito orgulhoso de ser treinado pelo professor. Ele foi sinistro – elogiou Rossi.

– O Luxemburgo consegue colocar o nosso time lá em cima – completou Marrony.

No fim, com o empate garantido nos acréscimos, Luxemburgo, os jogadores e a comissão técnica saborearam o bom resultado no vestiário com um bom vinho – algo recorrente nos jogos do Vasco. Era a certeza de missão cumprida.

– Tem de trazer a história e fazer o jogador acreditar nisso, envolver o jogador. Não é proibido empatar ou ganhar do Flamengo – disse Luxemburgo.

Fonte: Globoesporte.com


Instale o Aplicativo do Vasco e fique por dentro de todas as notícias do Gigante da Colina

Você pode gostar...