Ana Lucia Torre faz pedido ao autor de ‘A Dona do Pedaço’: ‘Walcyr, me ponha em um cabaré’

Saiba tudo sobre novelas! Se prepare para a nova novela das 9, entre no Grupo no facebook. Entre no Grupo de Novelas no Facebook Clique aqui – A DONA DA PEDAÇO. https://www.facebook.com/groups/128648017762517/



Ana Lucia tem 44 anos de carreira e ela não pensa em parar de trabalhar. A atriz que já viveu joias da teledramaturgia brasileira como a Neca de O Cravo e Rosa, Débora de Alma Gêmea e a Adinéia de O Outro Lado do Paraíso, ainda sonha com um papel desafiador na ficção: uma dona de bordel.

“Na televisão, eu sempre falo: ‘Walcyr, me ponha em um cabaré’. Ele dá risada e diz: ‘Quem sabe um dia’”.

E não para por aí porque a atriz ainda gostaria de encenar peças no teatro e de trabalhar com áudio:

“No teatro, eu quero muito fazer uma coisa que eu nunca fiz: Eugene O’Neill, que eu acho um autor brilhante. Adoro Nelson Rodrigues, já fiz ‘O Vestido de Noiva’. Tem uma coisa na minha vida que eu sempre quis fazer: rádio. Acho fascinante o rádio porque na televisão você tem a imagem, você está vendo aquilo que te dão. No rádio, você imagina. Ele permite que a sua imaginação voe.”

Ana Lucia Torre e a equipe do podcast Novela das 9, Eduardo Wolff, Larissa Kurka e Nícolas Queiros — Foto: Gshow

Ana Lucia Torre e a equipe do podcast Novela das 9, Eduardo Wolff, Larissa Kurka e Nícolas Queiros — Foto: Gshow

Dando vida à personagem Berta

Em A Dona do Pedaço, Berta não facilitava a vida de Vivi e cumpria sem questionar todas as ordens de Camilo (Lee Taylor). Recentemente, as personagens tiveram uma reviravolta e, neste momento, nutrem uma amizade:

“A Berta revelou que passou por um grande drama amoroso, esse romance foi interrompido e ela ficou sozinha para o resto da vida. Então, por enquanto, estamos amiguinhas. Definitivamente a Berta vai ajudar a Vivi e vamos aguardar para ver o que o Walcyr nos reserva”.

Ana Lucia também conta no Novela das 9 como foi a construção da personagem que carrega uma amargura em seu semblante:

“No meu primeiro dia de gravação, a Amora – diretora artística da trama – foi ao estúdio para dizer mais ou menos o que ela e o Walcyr pensavam sobre isso porque foi muito súbita a minha vinda. Eu estava em casa pronta para começar um filme, me ligaram e em 15 dias eu estava aqui. A gente decidiu que ela seria dura fisicamente, ela quase não se mexe, o rosto não tem expressão e eu baixo tom de voz. Isso foi uma coisa da minha cabeça, que eu nunca tinha feito uma mulher que fala assim”, comenta a atriz sobre a voz da personagem, que nunca se exalta em uma conversa.

Fonte: Gshow


Instale o aplicativo e tenha a notícia de todas as novelas em seu celular!

Você pode gostar...