Tiago Leifert completa 40 anos e reflete sobre vida e carreira: ‘Tenho muita coisa para fazer ainda’ – ValeSeuClick.com

Tiago Leifert completa 40 anos e reflete sobre vida e carreira: ‘Tenho muita coisa para fazer ainda’

Saiba tudo sobre novelas! Se prepare para a nova novela das 9, entre no Grupo no facebook. Entre no Grupo de Novelas no Facebook Clique aqui – AMOR DE MÃE. https://www.facebook.com/groups/128648017762517/



Tiago Leifert completa 40 anos e fala de vida e carreira — Foto: Globo/Divulgação

Tiago Leifert completa 40 anos e fala de vida e carreira — Foto: Globo/Divulgação

Com uma carreira consolidada no esporte,  dois anos antes. “Foi assistindo à Copa de 94, aos 14 anos, que decidi que queria trabalhar com esporte na televisão. Nunca quis jornal, rádio ou revista. Sempre tive vontade de trabalhar na televisão”, lembra.Tiago Leifert aceitou, há oito anos, e desafio de migrar para o entretenimento – e, na nesta área, o sucesso não foi diferente: comanda com maestria tanto o Big Brother Brasil, quanto o The Voice e o Zero1. Após encerrar em grande estilo uma edição histórica do reality show, que mobilizou como nunca os telespectadores brasileiros, o apresentador completa 40 anos nesta sexta-feira, 22/5, prestes a viver o momento mais transformador de sua vida: a paternidade. Em um papo com o Gshow, ele, que costuma ser avesso a entrevistas, reflete sobre vida, carreira e futuro.

Tiago começou a carreira de jornalista aos 16 anos, como repórter do Desafio do Galo, cobrindo o futebol de várzea em São Paulo, mas conta que a vontade de seguir a profissão surgiu

Antigo crachá de Tiago Leifert, de quando apresentava o 'Globo Esporte' — Foto: Reprodução/Instagram

Antigo crachá de Tiago Leifert, de quando apresentava o ‘Globo Esporte’ — Foto: Reprodução/Instagram

Dito e feito! Depois de se formar e ter suas primeiras experiências no jornalismo profissional, não demorou a se destacar na área esportiva. Tiago cobriu grandes eventos, ganhou prêmios e foi responsável por criar um jeito novo de apresentar os programas esportivos na TV Globo, muito mais bem humorado e espontâneo. Com uma sensação de dever cumprido, no entanto, não hesitou em partir para novos caminhos no entretenimento.

“Nunca tive medo de nada na minha carreira.”

Tiago Leifert na primeira temporada do 'The Voice Brasil', em 2012 — Foto: Globo/Alex Carvalho

Tiago Leifert na primeira temporada do ‘The Voice Brasil’, em 2012 — Foto: Globo/Alex Carvalho

Ainda assim, ao assumir o comando do The Voice Brasil, que estreava sua primeira temporada em 2012, o apresentador sentiu as diferenças entre o novo mundo do entretenimento e o que já estava acostumado a fazer. “No esporte, eu entrava no ar após o fim da ação. O jogo já tinha acabado, meu trabalho era escrever e editar. A novidade do The Voice era estar no meio da ação e ser uma engrenagem que fazia parte da história. O que me ajudou foi exatamente ter o treinamento de repórter: saber quando falar e o que perguntar, e também ter cabeça de editor ao saber quando cortar ou esticar uma ação no palco”, diz.

Tiago também acha graça ao lembrar da surpresa que teve ao reparar como a rotina nos Estúdios Globo é diferente da que tinha no Jornalismo. “Meu primeiro choque foi com a estrutura. Até ali, eu tinha passado a vida numa redação. O entretenimento tem outra natureza: como é tudo muito intenso e em realities nunca sabemos a hora que as coisas vão acabar, é necessário oferecer o máximo de conforto ao elenco e à equipe. Então, quando vi o bufê e notei que tinha até sushi, lembro que mandei mensagem para alguns colegas do esporte, porque fiquei chocado. Era outro mundo!”, diverte-se.

Tiago Leifert e Caio Ribeiro no 'Central da Copa', programa que ainda comanda nos anos de Copa do Mundo — Foto: Globo/Rafael Sorín

Tiago Leifert e Caio Ribeiro no ‘Central da Copa’, programa que ainda comanda nos anos de Copa do Mundo — Foto: Globo/Rafael Sorín

Desde então, ele se tornou um dos apresentadores mais prestigiados da TV Globo. Além do reality musical, estreou, em 2016, o Zero1, programa dedicado ao universo geek que vai ao ar nas madrugadas de sábado, e, no ano seguinte, encarou a responsabilidade de substituir Pedro Bial na 17ª edição do Big Brother Brasil – sem contar o Central da Copa, que apresenta a cada quatro anos desde 2010. “Virei meme, até! Mas nunca parei para pensar em como ou por que isso aconteceu”, diz. Ele não se deslumbra e prefere manter os pés no chão: “Minha preocupação é só fazer o melhor que puder sempre, para justificar a escolha. Tem muita gente boa e talentosa por aí. Se me colocam em algum programa, tenho a obrigação de honrar a posição, porque outros poderiam estar no meu lugar”, explica.

Fonte: Gshow


Instale o aplicativo e tenha a notícia de todas as novelas em seu celular!

Você pode gostar...

Close